Time do Bahia é barrado por grevistas em estádio

Policiais militares grevistas tentaram impedir durante mais de uma hora, ontem à tarde, em Itabuna, que o ônibus do time do Bahia entrasse no Estádio Luiz Viana Filho, o Itabunão. Os jogadores só puderam entrar no estádio a pé após a chegada de homens do Exército, que fizeram uma tensa negociação de cerca de 50 minutos com os policiais.

ITABUNA, O Estado de S.Paulo

06 de fevereiro de 2012 | 03h08

O coletivo do Bahia, que vinha do Aeroporto de Ilhéus, a 29 quilômetros de Itabuna, foi surpreendido por um grupo com cerca de 40 PMs, a cerca de 50 metros do estádio, onde o time enfrentou o time do Itabuna pelo Campeonato Baiano.

Alguns dos grevistas estavam em trajes civis, mas com armas na cintura à mostra. Os jogadores e dirigentes do Bahia afirmavam que não entrariam a pé no estádio, como os PMs já haviam obrigado a fazer minutos antes os jogadores do Itabuna.

A confusão só diminuiu com a chegada de 40 homens da Companhia de Ações Especiais da Região Cacauiera e de outros soldados do Exército. Por volta das 16h40, 20 minutos antes do início da partida, os grevistas liberaram os jogadores, que entraram a pé no estádio. O clima tenso deixou as arquibancadas do Itabunão vazias. A maioria do público era de soldados e agentes da Força Nacional.

Novas paralisações. Os grevistas prometem fazer outras paralisações pontuais em locais públicos e em eventos de cidades no sul da Bahia nos próximos dias. Segundo um coronel do 18.º Circunscrição do Serviço Militar, a ordem por enquanto é "não usar de violência" contra os policiais. / D.Z.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.