The business é o seguinte…

Guarde seu português para quando for a Miami. Ou para qualquer outra ocasião - menos a hora do batente. Aí você vai precisar é do inglês, para que possa ficar above the dry meat, ou, como dizem nossos monoglotas, por cima da carne seca.

HUMBERTO WERNECK, O Estado de S.Paulo

29 Abril 2012 | 03h07

Diante de tão avassaladora tendência, procure ver a coisa por um lado positivo. Falar aquele inglês de reunião pode não facilitar o entendimento, mas tem lá suas vantagens. No mínimo, evita erros de português.

O primeiro passo para não boiar num encontro de trabalho é admitir humildemente a condição de dummie, gíria americana para quem é ignorante em determinado assunto - no caso, o palavreado anglo-saxão que voa de um lado a outro da mesa. Será preciso também, é claro, encorpar o seu the-book-is-on-the-table. O que pode ser feito desde já, com este glossário:

Agreement: Acordo. Mas dito assim, em reles português, fica no ar a suspeita de que uma das partes poderá roer a corda.

Board: Diretoria. Sempre no masculino, como convém às diretorias: o board. A palavra tem uma conotação náutica que lhe vai bem, até por sugerir que ali está o pessoal que comanda, pilota. Mas cuidado para não extrapolar: coisa muito fina é "de diretoria", nunca "do board".

Business: Negócio. Recomenda-se usar a palavrinha inglesa, pois um dos sentidos de "negócio", em português, é qualquer objeto ou coisa, troço - ou "trem", se estivermos em Minas Gerais. Não hesite em usar a variante "biz", que denota intimidade com o mundo dos negócios, perdão, do business. Embora diminutivo, pode designar um negocião. Mas evite "the business (ou biz) is the following" se quiser dizer "o negócio é o seguinte".

Buying-in: Compra. Veja se não causa mais impacto: "Mandamos dois executivos para analisar o buying-in da empresa."

Cash: Dinheiro vivo. Aquele mesmo que se guardava embaixo do colchão. As quatro letrinhas, com seu chiado, impõem um respeito de chocalho de cascavel. E deixam no ar a impressão de que o dinheiro é não apenas vivo como americano. "O cara chegou na loja, escolheu a Ferrari e pagou cash." Acrescente, ainda mais enfaticamente: "Uma em cima da outra!"

Chairman: Literalmente, "o homem da cadeira" - facilmente reconhecível, esta, por ser maior e mais confortável que as demais, ainda que eventualmente ejetável. Nela só se senta o chairman, que vem a ser o presidente do conselho que dirige a empresa. Se quiser valorizar ainda mais o dono de tão superiores nádegas, junte dois verbetes deste glossário e diga: "chairman of the board".

Chief executive officer: Este é o CEO. Não confundir com CFO (chief financial officer, vulgo diretor financeiro), COO (chief operating officer, ou diretor de operações), CTO (chief technology officer, diretor de tecnologia), CMO (chief marketing officer, executivo-chefe de marketing) ou, por fim, CDF, que todos os chiefs querem dar a impressão de ser.

Coffee break: Embora poucos admitam, é o melhor momento da reunião. Além do coffee e do pratinho de biscoitos, o break proporciona um parêntese linguístico em que se permite falar português.

Commodity: Esta comparece às reuniões com tanta insistência que já entrou no Aurélio: "Produto primário, especialmente um de grande participação no comércio internacional, como café, algodão, minério de ferro etc." Tome liberdades com a palavra: "Neste business, até fofoca virou commodity."

Corporate purpose: O cara poderia dizer "objetivo da empresa". Mas tudo - o cara, o objetivo e a empresa - pareceria menor.

Downsizing: Palavra por detrás da qual costuma estar pousada, pronta para decolar, a ave de rapina mais temida entre os funcionários, perdão, "colaboradores": o passaralho.

Income: Renda. "Você precisa melhorar o seu income." Pode não engordar o contracheque, mas impressiona.

Loft: Um imóvel praticamente sem divisórias. O que o incorporador economiza em tijolo vende como charme nova-iorquino.

Pay back: O momento a partir do qual um investimento rendeu o suficiente para se pagar. Em ouvidos veteranos, pode evocar aquela brincadeira de colegial, mais velha ainda, a respeito do dia do pagamento, o "pay day".

Sales manager: Pode até ser que o gerente se chame Sales. Mas a expressão quer dizer gerente de vendas.

Turnover: Rotatividade da mão de obra. Em inglês, disfarça a impressão desagradável de que esta é uma empresa onde ninguém esquenta lugar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.