Testemunhas falam que aeronave passou perto de mercado

Duas testemunhas do acidente disseram ter visto faíscas saindo do rotor de cauda da aeronave. "Ele estava rodopiando baixo, em cima do mercado onde eu estava. O piloto ainda conseguiu erguer o helicóptero, mas depois caiu. Estava saindo faísca da hélice de trás", disse o ajudante de produção Donizete Souza, de 45 anos.

RAFAEL ITALIANI, O Estado de S.Paulo

03 Abril 2015 | 02h02

"Ele estava muito baixo. Saímos correndo porque estava passando sobre a quadra. Cheguei a ver uma das vítimas pela janela", disse um adolescente de 15 anos que trabalha em uma quadra de tênis a 400 metros do local da tragédia.

O acidente ocorreu dentro do condomínio Fazendinha, em Carapicuíba - administrado pela Associação dos Moradores e Proprietários da Fazendinha. De acordo com um funcionário da portaria do condomínio, que viu a queda, a aeronave chegou a atingir duas casas. Danificou o telhado de uma delas - com moradores, mas ninguém se feriu - e parte do helicóptero ficou sobre outra, ainda em obras de construção. "O motor (da aeronave) está no banheiro dessa casa em obras", afirmou.

A maior parte dos destroços acabou caindo no chão. Quando chegaram ao local, bombeiros retiraram os moradores e curiosos do entorno.

Por volta das 22 horas, duas equipes do 4.º Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes (Seripa) chegaram ao endereço do acidente, onde já estavam policiais da Delegacia Seccional de Carapicuíba. A perspectiva era de que a rua permanecesse interditada durante a noite.

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.