Testemunhas de defesa do caso Isabella depõem nesta quarta

Elas vão relatar ao juiz Maurício Fossen episódios e impressões que possam eximir o pai e a madrasta de Isabella

Carolina Freitas, Agência Estado

02 de julho de 2008 | 07h37

As testemunhas de defesa do caso Isabella depõem nesta quarta-feira, 2, a partir das 13 horas, à Justiça. Trinta e duas pessoas foram convocadas pelos advogados de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, acusados pela morte da menina Isabella Nardoni, de 5 anos, em 29 de março. A defesa não revela o nome das testemunhas, que serão ouvidas nesta quarta e na quinta-feira, 3, no Fórum de Santana, zona norte de São Paulo.  Elas vão relatar ao juiz Maurício Fossen, do 2º Tribunal do Júri, episódios e impressões que possam eximir o pai e a madrasta de Isabella de culpa. Alexandre e Anna Carolina são acusados por homicídio triplamente qualificado e fraude processual. Isabella foi esganada e jogada do 4º andar do edifício em que morava o casal, na noite de 29 de março. Alexandre e Anna Carolina estão presos preventivamente em penitenciárias de Tremembé, no interior do Estado.  As testemunhas de acusação foram ouvidas em 17 e 18 de junho. Na ocasião, a perita do Instituto de Criminalística (IC) afirmou ao juiz que o sangue encontrado no carro da família Nardoni era de Isabella. A delegada Renata Helena Pontes, que comandou o inquérito, negou que tenha pressionado o casal a confessar o crime. A mãe da menina, Ana Carolina de Oliveira, e a avó materna, Rosa Maria, falaram sobre o ciúme "doentio" de Anna Jatobá, que fazia com que as famílias Oliveira e Nardoni temessem deixar Isabella sozinha com a madrasta. 

Tudo o que sabemos sobre:
Caso Isabella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.