Testemunha viu homem no carro de dona de casa encontrada morta em SP

Corpo da vítima foi encontrado em local utilizado para prática de rituais religiosos

Priscila Trindade, do estadão.com.br,

20 de janeiro de 2012 | 19h33

SÃO PAULO - Uma testemunha contou à polícia nesta sexta-feira, 20, ter visto o carro da dona de casa Geralda Lúcia Guabiraba, de 54 anos, encontrada morta no último sábado, 14, em Mairiporã, na Grande São Paulo, sendo conduzido pela Estrada de Santa Inês por um homem "forte" que vestia uma camisa vermelha. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a testemunha relatou ainda que havia outro homem dentro do veículo. Os homens ainda não foram identificados.

O corpo da dona de casa foi localizado na Pedra da Macumba, sem os olhos e a pele do rosto. A polícia acredita que o crime esteja relacionado com magia negra. Um especialista em magia negra será ouvido pela delegada Cláudia Patrícia Dálvia, que investiga o caso.

O médico-legista responsável pelo exame necroscópico disse que Geralda não esboçou qualquer reação antes de ser assassinada e que o corte profundo no pescoço causou a morte dela. O laudo completo será divulgado na segunda-feira, 23.

A análise feita no celular da dona de casa mostrou que as últimas ligações feitas por ela foram para parentes e amigos. Até o momento, 13 pessoas foram ouvidas. Ainda faltam serem ouvidos dois porteiros que trabalham no prédio onde a dona de casa morava, em Lauzane Paulista, na zona norte da capital paulista.

Perícia feita no computador usado por Geralda irá auxiliar nas investigações.

Crime. O corpo de Geralda foi encontrado no km 8 da estrada de Santa Inês, local costumeiramente utilizado para prática de rituais religiosos. Imagens da câmera de segurança do prédio em Lauzane Paulista, zona norte da cidade, onde ela morava com a família, mostram que ela saiu sozinha de casa às 23h26 de sexta-feira, 13.

O carro foi localizado a poucos metros do corpo. A chave estava no contato e nada foi roubado. No veículo, os policiais recolheram um copo de alumínio e uma garrafa plástica com uma substância esbranquiçada. O material recolhido será periciado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.