Reprodução
Reprodução

Testemunha diz que namorado de nutricionista dirigia Land Rover

Depoimento de jornalista contraria versão dada à polícia; jovem morreu após ser atropelado

Estadão.com.br,

01 de agosto de 2011 | 18h14

SÃO PAULO - Um depoimento deve mudar toda a investigação sobre do atropelamento que matou o administrador de empresas Vitor Gurman, de 24 anos. Uma testemunha disse nesta segunda-feira, 1º, em depoimento à polícia, que não era a nutricionista Gabriella Guerrero Pereira que dirigia o Land Rover no momento do acidente, no último dia 23, na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo.

 

De acordo com a jornalista Ingrid Paes Filho, de 44 anos, que chegou à Rua Natingui antes mesmo que os policiais que atenderam a ocorrência, era o namorado de Gabriella e dono do veículo, o engenheiro Roberto Lima, de 34 anos, quem conduzia o carro que atropelou o jovem na madrugada daquele sábado.

 

A primeira versão dada à polícia era que, alcoolizada, Gabriella tinha perdido a condução do Land Rover e atropelou Gurman, que ficou em coma por dois dias antes de morrer. O delegado Manuel Adamuz, responsável pelo caso, registrado no 14.º Distrito Policial (Pinheiros), avaliava pedir a prisão preventiva da nutricionista, que responde a inquérito por homicídio com dolo eventual (quando assume o risco de matar alguém).

 

O corpo do jovem foi enterrado no último dia 29, no Cemitério Israelita do Butantã, onde cerca de mil pessoas participaram do velório.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.