Testemunha de morte de arquiteto é baleado no Brooklin

Nelson Lojo foi assassinado na terça-feira ao sair de seu escritório; homem é a única testemunha do caso

Efe,

18 de abril de 2008 | 06h26

Um vigilante noturno, cujo nome ainda não foi informado pela polícia, foi vítima de uma tentativa de homicídio por volta das 4 horas desta sexta-feira, 18, no Brooklin, zona sul da capital paulista. O vigia é testemunha do assassinato do arquiteto Nelson Walter Fernandez Lojo, de 59 anos, na última terça-feira. Encaminhada ao pronto-socorro do Hospital São Paulo, no bairro de Vila Mariana, a vítima ferida a tiros passa bem, segundo a PM. A delegada plantonista do 96º Distrito Policial, do Brooklin, foi acionada para o local do crime e acionará o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Apesar do crime não ter resultado em morte, o DHPP entrará nas investigações pois acredita-se que os autores da tentativa de homicídio estejam ligados ao assassinato do arquiteto Nelson Lojo, já que o vigilante é testemunha no caso. Crime Criador de alguns dos ambientes mais concorridos de várias edições da Casa Cor, maior evento de decoração do País, Lojo foi morto com um tiro no peito às 20h15 do último dia 16 quando saía de seu escritório, na rua Califórnia. Ele foi abordado por dois homens não-identificados. Segundo depoimento do vigia, única testemunha do crime, a dupla abordou Lojo gritando: "Entra, entra". A testemunha viu ainda quando um dos homens entrou no carro pela porta traseira. A dupla, que vestia trajes escuros, segundo a testemunha, saiu correndo, entrou em um Corsa estacionado bem próximo, quase na esquina com a avenida Jornalista Roberto Marinho, e foi embora. De acordo com o boletim, nada foi roubado do arquiteto - nem os dois aparelhos celulares que estavam com ele.

Tudo o que sabemos sobre:
arquitetoNelson Lojoassassinato

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.