Teste de Zona Azul eletrônica começa 2ª

Cerca de 10 mil vagas de estacionamento já poderão ser usadas com esse tipo de pagamento

RODRIGO BURGARELLI, O Estado de S.Paulo

01 de novembro de 2012 | 02h03

Os novos sistemas de Zona Azul eletrônica em São Paulo já têm data marcada para iniciar suas operações. As cinco empresas escolhidas pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) deverão começar a funcionar em fase de testes a partir da próxima segunda-feira, em diferentes regiões da cidade. Na primeira fase, cerca de 10 mil vagas já poderão ser usadas com pagamento eletrônico.

Os locais escolhidos são a região de Pinheiros, dos Jardins, do Itaim-Bibi, do Paraíso e do Bom Retiro (leia mais nesta página). Em cada um deles, uma empresa distinta testará sua tecnologia. Apenas a do Itaim-Bibi não contempla o uso pelo smartphone de créditos adquiridos pela internet ou em pontos de venda. Lá, a ideia é usar parquímetros móveis que podem ser encontrados em lojas, bancas de jornal ou mesmo pela internet para fazer o controle dos minutos em que se é permitido estacionar.

Cada empresa terá prazo máximo de 20 dias, a partir desta segunda, para colocar seu sistema em funcionamento. Após o início da operação, elas terão 30 dias para testar seu sistema dentro de sua área - nada será pago pela companhia pela oferta da tecnologia e o lucro das empresas deverá vir da margem de ganho que já está prevista na venda dos talões atuais de Zona Azul. Depois disso, a CET vai decidir se homologa ou não cada um dos sistemas.

Segundo a CET, todos os sistemas que forem homologados serão estendidos para todas as mais de 37 mil vagas de Zona Azul da capital.

Os critérios para a homologação, de acordo com a empresa municipal, não serão a aderência e utilização dos sistemas pelos usuários, mas a qualidade e confiabilidade da tecnologia apresentada. O raciocínio é de que a concorrência entre as empresas para conseguir atrair os usuários já deverão garantir que os sistemas sejam eficientes e simples de serem usados.

Informação. A definição dos locais que cada empresa vai operar só foi decidida ontem, em sorteio realizado na sede da companhia. A CET ainda não informou o perímetro exato de testes para cada um dos sistemas, apenas a região e algumas avenidas principais, de forma genérica. Essa informação deverá ser colocada no site da companhia antes do início dos testes para que os usuários consigam se informar para usar os modelos.

Mesmo se os sistemas forem homologados, não há a possibilidade de se extinguir o atual sistema de Zona Azul. De acordo com a CET, as empresas terão de interligar o sistema de venda eletrônica de créditos com o atual, por meio de talões que podem ser encontrados nos revendedores cadastrados.

No exterior. Em países como Israel, Alemanha, França e Estados Unidos, sistemas eletrônicos de pagamento de estacionamento público por smartphones ou outras tecnologias eletrônicas já existem há quase uma década. Em Israel, por exemplo, é possível encontrar parquímetros nas calçadas que aceitam cartão de crédito. Na Alemanha, modelos recentes chegam a enviar mensagens por celular para avisar quando o tempo pago de estacionamento está acabando.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.