Teste de sistema com chip é adiado para o fim do ano

Outro recurso que poderia contribuir para a implementação de novas formas de cobrança automática de pedágio enfrenta resistência judicial e vem sendo frequentemente adiado. O chip em todos os veículos é considerado uma medida importante para a apreensão de veículos irregulares - roubados ou sem licenciamento -, para coibir infrações e também para localizar um carro ou moto que tenha passado sem pagar por um pedágio.

Renato Machado, O Estado de S.Paulo

27 Julho 2011 | 00h00

No entanto, o projeto vem sofrendo sucessivos adiamentos. Na semana passada, o Conselho Nacional de Trânsito publicou resolução em que prorrogou novamente, desta vez até 31 de dezembro, os testes para os chips nos veículos. O chamado Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos (Siniav) prevê a colocação de chips com todas as informações dos veículos. A instalação seguiria um sistema escalonado, começando com veículos saídos de fábrica.

Os testes estão sendo realizados em algumas cidades brasileiras, como no Rio, onde foram instalados pórticos que fazem a leitura dos dados. O grupo de trabalho da Artesp citou em seu relatório final a importância do Siniav para o sucesso de uma mudança na forma de cobrança automática de pedágio, por endurecer a fiscalização.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.