Patricia Cruz/Estadão
Patricia Cruz/Estadão

Terminal Barra Funda vai ganhar pé-direito mais alto

Objetivo é melhorar ventilação e circulação de ar; até governador reconheceu ontem que estação na zona oeste é 'forno verdadeiro'

ARTUR RODRIGUES, NATALY COSTA, O Estado de S.Paulo

01 de novembro de 2012 | 02h03

Em uma semana de calor recorde em São Paulo, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) prometeu aumentar o pé-direito da Estação Barra Funda para melhorar a ventilação e a circulação de ar no local, que, segundo Alckmin, é um "forno verdadeiro" no verão. O projeto já foi encaminhado ao secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, e à Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Será uma obra conjunta entre Metrô e CPTM, uma vez que a estação abriga os dois sistemas, com a Linha 3-Vermelha do Metrô e a Linha 7-Rubi da CPTM. A ideia é que a Barra Funda ganhe características semelhantes às da Estação Brás, também intermodal, com duas linhas de trem e uma de metrô. Apesar de ter um terço (23.350 m²) da área construída da Barra Funda, a Estação Brás é mais arejada e sofre menos com a lotação.

Construída em 1988, a Barra Funda teve movimento recorde no ano passado, com 62,2 milhões de usuários, de acordo com o Metrô. "É uma estação muito utilizada, antiga, o pé-direito é muito baixo e o tipo de telha é um horror na época do verão, então é um forno verdadeiro", disse Alckmin. "O Brás já está nesse novo padrão, pé-direito bem mais alto, com circulação de ar bem melhor, ventilação e sistema de telhas também", afirmou.

Atrasos. Nove estações da CPTM - Barra Funda, Franco da Rocha, Vila Aurora, Osasco, São Miguel, Ferraz de Vasconcelos, Suzano, Amador Bueno e Santa Rita - estão em obras, algumas delas com cronograma atrasado. A nova Estação Suzano, por exemplo, deveria ficar pronta até dezembro, mas o novo prazo é o segundo semestre de 2013. Em Ferraz de Vasconcelos, a reforma termina apenas em 2014.

A décima estação a entrar em obras, depois do feriado, será a Domingos de Moraes, da Linha 8-Diamante da CPTM. O orçamento é de R$ 10 milhões, com o benefício de 22 mil passageiros por dia que usam a estação. Antiga, a estação também sofre com o problema de falta de acessibilidade.

"Vocês verificam que essa estação é muito acanhada, é uma estação pequena. Imagine uma pessoa com deficiência subir essa escadaria toda?", disse Alckmin. Em dezembro, será a vez de a Estação Jaraguá, da Linha 7-Rubi, e de Poá, da Linha 11-Coral, passarem pelo mesmo tipo de obra.

Nos próximos dias, o governo lançará um edital de pré-qualificação para empresas que farão obras de modernização em mais 23 estações da CPTM. A ideia é promover uma ampliação de banheiros, construir elevadores, rampas e pisos táteis.

O investimento em estações mais amplas para acomodar o número cada vez maior de usuários também faz parte dos planos. "Na Estação Imperatriz-Leopoldina, por exemplo, não é só acessibilidade. Como houve no bairro um investimento maciço em novos apartamentos e cresceu muito a população, vamos aumentar a capacidade da estação também", afirmou o secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes.

Integração. Desde o dia 22, usuários das Linhas 11-Coral e 12-Safira da CPTM podem fazer transferência gratuita com a Linha 3-Vermelha do Metrô nas Estações Tatuapé e Corinthians-Itaquera.

O benefício, porém, só valia das 11h às 15h e após as 21h, de segunda a sexta-feira, e, aos sábados, a partir das 15h. Agora, aos domingos e feriados, a integração gratuita estará liberada durante o dia inteiro. Ontem, Alckmin anunciou também mais uma hora de integração livre em dias úteis, até as 16h.

Mais conteúdo sobre:
barra funda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.