Tergiversar é humano!

O eleitor que é contra o aborto saiu dividido do último debate de presidenciáveis na televisão: metade ficou achando que "tergiversar" também é pecado, ainda que os outros 50% admitam dúvidas a respeito de que diabos é isso que Dilma Rousseff acusa agora seu adversário de praticar: "O Serra tergiversa!" - garantiu, mais de uma vez, em sua fala de candidata injuriada. Será o Benedito?

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

12 de outubro de 2010 | 00h00

Pelo sim, pelo não, diante do temor de que não haja tempo de abrir o verbo para explicá-lo a católicos e evangélicos até 31 de outubro, já tem pichação nova nos muros bíblicos do País: "Atire a primeira pedra quem nunca tergiversou!"

É coisa de marqueteiro, claro! Político nenhum - nem Odorico Paraguaçu em transe "discursivista" - arriscaria conjugar o verbo tergiversar em debate eleitoral na Band.

Mas, que ninguém se iluda, o eleitor não é bobo! Nem precisa saber do que se trata para perceber que os candidatos, de maneira geral, estão usando de evasivas e subterfúgios para fazer rodeios e, em última análise, tentar enrolar, engambelar, embromar, desconversar e faturar seu voto. Tergiversar, convenhamos, é o escambau!

Cacique amigo

José Serra não deixará o Dia das Crianças passar em branco na corrida presidencial: comprou um forte apache lindão de presente para o Índio da Costa. Mas fará ele prometer que não vai mais falar das Farc na campanha.

Compulsão democrática

Quando, afinal, Lula vai à China pedir pela libertação do Prêmio Nobel da Paz, o dissidente Liu Xiaobo? Faz tempo que o presidente não paga mico lá fora!

Basta!

Ao menos no Dia das Crianças, os candidatos podiam parar de falar em aborto, né não?

Apoio estratégico

José Serra não sabe direito como pedir, mas talvez precise de FHC para garantir o voto da militância "verde" a favor da descriminação da maconha.

Opinião pública

Corre na internet campanha estimulando o eleitor, independentemente do candidato de sua preferência, a mentir sempre que for entrevistado por institutos de pesquisa sobre intenção de voto. Só pelo prazer de vê-los errar!

Dois coelhos

A solução pode ser conveniente para todos! Se promover Ronaldo Fenômeno a técnico, o Corinthians já se livra, de cara, de um problemão: para exercer a nova função no clube, ele está em ótima forma física. Gordo, no caso, é o Felipão.

Vidão!

Mano Menezes vai passar um tempo agora na Europa assistindo a jogos do Campeonato Italiano e da Copa dos Campeões. E pensar que o Muricy Ramalho dispensou a vida de técnico da seleção brasileira para ficar no Fluminense.

Denúncia

Otávio Mesquita está assediando Palmirinha Onofre. Era só o que faltava!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.