Terceira empresa admite ter pago propina a fiscais

O Ministério Público Estadual (MPE) teve a confirmação de que a incorporadora Tarjab pagou cerca de R$ 690 mil à quadrilha do Imposto sobre Serviços (ISS) entre os anos de 2007 e 2012. É a primeira confissão após a descoberta da contabilidade da quadrilha, com uma lista de 410 obras supostamente fraudadas.

Artur Rodrigues, Bruno Ribeiro e Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

12 Dezembro 2013 | 02h05

"Já tínhamos informação de que a Tarjab estava envolvida antes de descobrir a lista", disse o promotor Roberto Bodini.

A testemunha afirmou que a primeira propina foi paga por imposição de Amilcar Cançado Lemos, tido como criador do esquema. "Antes dele, havia uma discussão técnica sobre o valor do ISS a ser pago. Quando ele (Lemos) chegou, disse que era ele quem mandava e passou a elevar o valor do imposto. Depois, ofereceu a vantagem do desconto", disse Bodini.

Brookfield e Alimonti também já tinham confirmado o esquema. A Tarjab afirmou que não pode detalhar o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.