Tentativa de assalto fere 2 em shopping

Vigias de transportadora de valores trocaram tiros com ladrões em anexo do Anália Franco

WILLIAM CARDOSO, O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2012 | 03h03

Uma quadrilha formada por pelo menos dez criminosos participou, na manhã de ontem, de uma tentativa de assalto a um carro-forte que recolhia dinheiro da loja do Carrefour anexa ao Shopping Anália Franco, no Tatuapé, zona leste de São Paulo. Dois seguranças foram baleados, mas não correm risco. Funcionários que chegavam para trabalhar foram surpreendidos pelos tiros. Os ladrões escaparam levando apenas a arma de um segurança.

Por volta das 10h, quatro funcionários de um carro-forte recolhiam dinheiro do supermercado quando foram abordados pelos criminosos, no piso G2 do estacionamento, próximo das docas. Um dos vigias foi atingido na virilha e outro na mão - o revólver dele foi levado pelos assaltantes. Os dois foram socorridos no Hospital Vitória.

Os seguranças do carro-forte reagiram e conseguiram espantar os criminosos. Pelo menos um quinto vigia, de outra empresa de valores, também participou do tiroteio, por se sentir ameaçado pelo bando.

Na fuga, os criminosos bateram na cancela do estacionamento. A polícia encontrou um Astra e uma Doblò usados pela quadrilha na Rua Eleonora Cintra, perto do shopping. Na Doblò, roubada recentemente, havia mancha de sangue na parte traseira, o que poderia indicar que um dos suspeitos foi baleado. Também foram encontradas toucas ninjas. Testemunhas viram outros dois carros, um Celta e um Palio, também sendo usados na fuga.

Tumulto. A ação da quadrilha provocou tumulto entre funcionários do shopping que chegavam para trabalhar. "Estava na entrada do estacionamento quando ouvi um homem gritando 'é tiro, é tiro'. Escutei pelo menos dez disparos e voltei com o carro", afirmou o vendedor Renato, de 22 anos.

Funcionários que já estavam no interior do shopping permaneceram dentro das lojas, com as portas fechadas. A administração do Anália Franco informou, por nota, que abriu normalmente às 10h. Já o Carrefour disse, também por nota, que acionou imediatamente a PM para a condução do caso e que está à disposição para esclarecimentos.

Investigação. O caso foi registrado no 30.º Distrito Policial (Tatuapé), mas será investigado pela 5.ª Delegacia do Patrimônio do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

O delegado titular do 30.º DP, José Matallo Neto, solicitará imagens do circuito interno de vigilância. Ele acredita que a ação foi planejada com antecedência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.