Tiago Silva/DGABC
Tiago Silva/DGABC

Temporal mata 1 em Mauá e alaga SP e Santo André

Houve transtornos também em São Caetano, onde helicóptero da PM resgatou pessoas ilhadas; capital teve 16 pontos de alagamento

Damaris Giuliana, O Estado de S.Paulo

19 Janeiro 2011 | 00h00

Uma pessoa morreu ontem em Mauá, no ABC paulista, por causa da chuva que atingiu toda a Região Metropolitana no fim da tarde. Em Santo André, cerca de 50 ocorrências ainda estavam pendentes na Defesa Civil às 22 horas. Houve transtornos também em São Caetano do Sul, onde o helicóptero Águia da Polícia Militar socorreu pessoas ilhadas. Na capital, foram 16 pontos de alagamento. Composições de duas linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) pararam.

A chuva começou por volta das 18 horas. Menos de meia hora depois, a Avenida Armando Bagnara, no Jardim Zaíra, em Mauá, estava inundada. A casa no número 25 desmoronou com a força da água. Segundo os bombeiros, um morador morreu afogado, antes do desabamento. No mesmo bairro, pelo menos quatro pessoas já morreram neste ano em deslizamentos.

Grande parte de Santo André também registrou transtornos por causa dos transbordamentos do Rio Tamanduateí e dos Córregos dos Meninos e Guarará. Houve queda de muros. A água ainda estava baixando na Avenida dos Estados por volta das 22 horas. No centro, o prejuízo foi grande. O estudante de engenharia Marcelo Ricci, de 20 anos, perdeu o carro, um Pálio, na enxurrada. Ele calcula que pelo menos 15 carros foram levados pela água na Rua Monte Casseros. "Os estacionamentos também foram alagados e os carros ficaram boiando", lembra. "No prédio da minha avó, a água está batendo no teto da garagem. Os 12 carros que estavam lá foram perdidos", relata.

Capital. A chuva começou por volta das 17 horas em São Paulo. Em dez minutos, as zonas norte, oeste, central e a Marginal do Tietê já estavam em estado de atenção. Às 17h27, toda a cidade estava na mesma situação, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências, que só registrou normalidade a partir das 19h15.

A Subprefeitura da Vila Prudente, na zona leste, ficou em alerta das 20h15 às 21h35. Nessa região estava um dos cinco pontos intransitáveis da cidade, a Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello. A Via Anchieta também ficou interditada do km 10 ao 14, das 18h35 às 19h48. O Aeroporto de Congonhas fechou por dez minutos, até as 17h45. Houve problemas com semáforos e quedas de árvores.

O Metrô reduziu a velocidade e reteve passageiros nas catracas de algumas estações, como a Barra Funda, para evitar tumulto nas plataformas. Os alagamentos obrigaram a CPTM a acionar o serviço de ônibus gratuitos na Linha 10-Turquesa, entre Mauá e São Caetano do Sul. A Linha 11-Coral teve problemas de energia por causa da chuva entre 17h45 e 22h30. Usuários quebraram vidros e foram para os trilhos. / COLABOROU PEDRO DA ROCHA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.