Temporal deixa mil famílias sem luz; jovem cai em córrego

Falta de eletricidade antige oa zona sul da capital paulista após muita chuva e vento na madrugada de Natal

O Estado de S. Paulo,

25 Dezembro 2008 | 20h41

Cerca de mil famílias passaram o Dia de Natal sem energia elétrica na zona sul de São Paulo, depois de uma madrugada de muita chuva e vento na capital. A maior parte do estrago foi causada pela queda de árvores e de galhos sobre a rede elétrica. A Eletropaulo informou que a energia seria completamente restabelecida até as 21 horas.   Por volta das 19 horas de quarta-feira, 24, um forte temporal também derrubou árvores sobre fiações, deixando outros 20 mil imóveis sem energia. O abastecimento nessas residências, porém, foi totalmente restabelecido às 23h.   Na capital, os bairros mais atingidos pelas chuvas foram Alto da Boa Vista, Moema e Jardim Aeroporto. O forte temporal da noite deixou um saldo de 27 árvores caídas nas ruas, na rede elétrica ou em cima de automóveis, de acordo com o Corpo de Bombeiros. Uma grande árvore caiu na Avenida Vereador José Diniz, na zona sul, impedindo o tráfego na via até sua retirada pelos bombeiros.   Desaparecido   O Natal da família Soares acabou anteontem às 21h30. Foi quando chegou a notícia de que o estudante e feirante Rodolfo Silva Soares, de 17 anos, havia caído no córrego Alto Riviera, que deságua na Represa do Guarapiranga, zona sul da capital. Segundo familiares, o rapaz se sentiu mal durante a ceia e saiu da casa. "Chovia muito, o córrego já estava transbordando. Ele escorregou e foi levado pela correnteza", contou a irmã Ana Cláudia Soares, de 33 anos.   Os bombeiros foram acionados às 22 horas de quarta. Após uma busca de 40 minutos, os trabalhos foram interrompidos e retomados às 10h desta quinta-feira. Amigos de Soares também ajudaram. "Ele é meu irmão. Me enfiei no meio do mato para tentar encontrá-lo, fui pelo córrego até a represa, e nada", disse o pintor Claudemir Bonfi, amigo do rapaz. As buscas foram interrompidas às 18h e deveriam ser retomadas às 10h de sexta-feira.   Familiares do adolescente não acreditam que será encontrado com vida. "Queremos o corpo para dar um enterro digno a ele", afirmou Célia Camargo Dias, tia do rapaz.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.