Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Temporal de quarta ainda provoca transtornos em SP

Falta de luz impedia fornecimento de água em parte da zona sul e semáforos seguiam apagados; estação tem rastros de destruição

O Estado de S. Paulo

26 Fevereiro 2015 | 10h32

Atualizada às 11h29.

SÃO PAULO - Na manhã seguinte à forte chuva que atingiu a Região Metropolitana de São Paulo, a capital paulista ainda contabilizava os estragos provocados pelo temporal. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), 1,1% dos semáforos da cidade estavam com problemas por volta das 11h desta quinta-feira, 26, mas não divulgou o número exato de sinais com defeito. A maioria deles estava em manutenção e uma pequena parte falhava por falta de energia elétrica. Também havia muitas árvores caídas, além de estragos na rede de trens. A falta de energia trazia transtornos no abastecimento de água.

Na Estação Palmeiras-Barra Funda, onde houve depredação na noite de quarta-feira, 18, ainda havia rastros de destruição nesta manhã. Os vidros das bilheterias seguiam trincados, máquinas de recarga de cartões do Bilhete Único estavam vandalizadas e uma câmera de segurança permanecia arrancada. 

Até uma máquina de venda de livros ainda estava tombada no meio do mezanino da estação.

Diversas árvores permaneciam caídas na cidade, em bairros como Vila Prudente, na zona leste, no Ipiranga, na zona sul, e na altura do número 1.230 da Avenida Paulista, no sentido Consolação, na região central. A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras ainda não tinha o balanço total de árvores caídas na cidade às 11h.

A Defesa Civil, por sua vez, informou que havia riscos de desabamentos em 14 subprefeituras da cidade, entre elas São Mateus, na zona leste, e M'Boi Mirim, na zona sul.

Energia e água. A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) informou que as estações elevatórias de água que abastecem uma parte da zona sul da capital paulista, além de Embu-Guaçu, na Grande São Paulo, "tiveram o funcionamento afetado em virtude da falta de energia elétrica que ocorre" desde a tarde de quarta-feira.

Por meio de nota, a empresa informou que "a interrupção no fornecimento de energia elétrica começou por volta das 16h, paralisando as estações elevatórias de água que atendem as regiões do Grajaú e Parelheiros, na zona sul da capital, e a estação de tratamento de água de Embu-Guaçu, que abastece todo o município".

A AES Eletropaulo já foi acionada, mas, segundo a Sabesp, não há prazo para o restabelecimento de energia. Já o fornecimento de água "será retomado gradativamente".

Por meio de nota, a AES Eletropaulo informou que três equipes estão trabalhando na região da Ceagesp, na zona oeste, e que a expectativa é de que os trabalhos terminem até por volta de 12h. Por sua vez, os 8 mil clientes que ficaram sem energia elétrica na Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, na zona leste, já tiveram a energia ligada de volta, assim como os 4 mil da Rua Tupi, na zona oeste, onde uma árvore caiu sobre a fiação após a chuva.

Mais conteúdo sobre:
Sabesp CET

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.