Temporal causa destruição em 5 cidades no interior

Casas, prédios públicos e redes de energia e telefonia sofreram danos, mas ninguém ficou ferido

JOSÉ MARIA TOMAZELA, SOROCABA, O Estado de S.Paulo

03 de outubro de 2013 | 02h05

Um temporal com rajadas de vento e granizo causou destruição em cinco cidades do oeste e centro-oeste do Estado de São Paulo, na madrugada de ontem. Meteorologistas descreveram o fenômeno como o início de um tornado. Casas, prédios públicos e redes de energia e telefonia foram destruídos, mas ninguém ficou ferido.

Os danos maiores ocorreram em Anhumas, cidade de 3.758 habitantes na região de Presidente Prudente, onde 1.300 casas sofreram alagamento ou tiveram algum tipo de dano. Parte do teto da prefeitura desabou e o prédio ficou alagado. Uma escola que nem chegou a ser inaugurada foi destelhada. Os móveis e equipamentos recém-instalados ou que ainda estavam em caixas foram danificados pela chuva.

Quedas de árvores centenárias deixaram a cidade sem energia e telefone até a tarde. O prefeito Adaílton Menossi (PTB), que também teve a casa alagada, deve decretar estado de emergência hoje. "Ele só não decretou ainda porque os computadores da prefeitura foram arruinados pela chuva", disse a secretária Lucimar Ferreti.

Em Regente Feijó, na mesma região, o temporal acompanhado de granizo derrubou árvores e causou o destelhamento de dezenas de casas e queda de muros. De acordo com a secretária de gabinete da prefeitura, Solange Malacrida Brocca, 300 famílias ficaram desalojadas e se abrigaram em casas de parentes. A cidade ficou sem energia elétrica até por volta do meio-dia e houve interrupção no abastecimento de água. O prefeito Marco Antonio Pereira da Rocha (PSDB) assinou decreto de estado de emergência.

No centro-oeste do Estado, o vento forte abalou a estrutura do terminal rodoviário de Macatuba e o prédio foi interditado pela Defesa Civil. As vigas principais ficaram retorcidas com a força do vento. O acesso da cidade à Rodovia Osni Matheus ficou debaixo d'água. À tarde, equipes trabalhavam na remoção da lama. Em Agudos, pelo menos dez casas e um centro atacadista ficaram destelhados. A tempestade durou 20 minutos e derrubou várias árvores, atingindo a fiação elétrica. Os bairros Santa Angelina e Jardim Cruzeiro do Sul ficaram sem energia. Um eucalipto caiu sobre uma oficina mecânica, destruindo o prédio.

O temporal causou o transbordamento de córregos e deixou prejuízos em Tupã, no oeste paulista. Duas fábricas da incubadora de empresas tiveram a estrutura danificada. Um posto de saúde, uma escola e o centro de atendimento ao idoso sofreram estragos.

Prejuízo. No dia 23, um tornado atingiu Taquarituba, deixando duas pessoas mortas e 64 feridas, além de danificar 510 casas e destruir 38 empresas. O prejuízo foi estimado em R$ 200 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.