J. DURAN MACHFEE
J. DURAN MACHFEE

Temporal causa alagamentos em SP e fecha aeroporto

Dois córregos transbordaram na zona sul e trens operam com velocidade reduzida; murou cedeu, mas ninguém se feriu

Mônica Reolom, O Estado de S. Paulo

19 de março de 2015 | 16h45

Atualizada à 0h07 de 20/03

SÃO PAULO - A chuva que atingiu São Paulo nesta quinta-feira, 19, provocou uma enxurrada que arrastou duas pessoas, fez dois córregos transbordarem, causou número recorde de pontos de alagamento do ano e afetou as operações do Aeroporto de Congonhas por uma hora. Somente uma das vítimas da correnteza foi resgatada.

A tarde começou com tempo abafado. O calor associado à umidade provocou as chuvas que logo se espalharam por todas as regiões. O Córrego Morro do S, no Campo Limpo, zona sul, transbordou às 15h05, assim como o Córrego Ipiranga, às 15h20. De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), choveu cerca de 50 milímetros nesses locais em apenas uma hora.

A região de Moema também foi especialmente afetada, com ruas completamente tomadas pela água e carros amontoados. A cidade alcançou 40 pontos de alagamentos - 33 intransitáveis. O trânsito ficou acima da média às 16 horas.

Uma casa na Rua Engenheiro Saturnino de Brito, na zona sul, desabou e atingiu um morador na perna e nas costas. Ele foi levado ao Hospital Municipal Doutor Arthur Ribeiro Saboya, mas não corria riscos.

Na zona leste, uma pessoa foi arrastada pela enxurrada para dentro do Córrego Aricanduva. Oito equipes do Corpo de Bombeiros, além do helicóptero Águia da Polícia Militar, foram mobilizados e conseguiram resgatar a vítima com vida.

Por causa da falta de visibilidade, o Aeroporto de Congonhas fechou para pousos às 14h45 e para decolagens às 15h. As operações voltaram ao normal às 15h43. Parte de um muro do aeroporto voltado para a Avenida dos Bandeirantes caiu sobre a calçada e duas faixas da via, segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Ninguém se machucou e a pista foi liberada em seguida.

Grande São Paulo. Em Taboão da Serra, na região metropolitana, carros foram arrastados para dentro do Córrego Poá e ao menos cinco pessoas ilhadas foram resgatadas por helicópteros Águia. José Fonseca Silva, de 69 anos, foi arrastado pela correnteza para dentro do córrego. Os familiares reconheceram o carro da vítima nas proximidades. Os bombeiros faziam buscas na noite desta quinta.

A Prefeitura de Taboão explicou que decretará estado de emergência por causa da intensidade da chuva. “Em apenas 30 minutos caíram 68 milímetros, algo considerado muito alto e alarmante, uma vez que o normal é chover 100 mm em três dias”, informou a administração municipal em nota. Até as 21 horas, a estimativa era que 200 a 300 casas tinham sido afetadas pela chuva.

Interior. Dez casas e uma escola de educação infantil foram interditadas pela Defesa Civil em Itapetininga, no interior do Estado, depois que as chuvas causaram o deslizamento de um aterro no acesso da Rodovia Raposo Tavares. Onze famílias foram removidas para um abrigo improvisado em uma escola. 

Outono. O outono vai começar nesta sexta-feira, às 19h45, com características típicas do verão. “A umidade que vem da Amazônia, junto com a entrada de uma frente fria, vai provocar mais chuvas sexta e domingo”, diz a meteorologista Neide Oliveira, do Instituto Nacional de Meteorologia. O clima nesta sexta na capital será abafado e com previsão de pancadas à tarde e à noite. A entrada da frente fria no sábado vai abaixar as temperaturas, que não devem passar dos 23°C no domingo. A tendência é que as chuvas percam a frequência a partir de abril./ COLABOROU JOSÉ MARIA TOMAZELA

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulochuvas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.