Tempo seco deixa SP em estado de alerta até domingo

Umidade do ar subiu, mas secura preocupa; escolas foram orientadas a fazer pausas nas aulas de Educação Física

JULIANA DEODORO, O Estado de S.Paulo

23 Agosto 2012 | 03h05

Depois de registrar o menor índice de umidade em três anos e entrar em estado de emergência anteontem, a cidade de São Paulo deve permanecer em alerta por causa do tempo seco até domingo. A previsão do clima é semelhante para algumas regiões do Estado, como o Vale do Paraíba, o Oeste e o Noroeste. Os professores de Educação Física da rede estadual foram orientados a realizar as atividades hoje e amanhã no início da manhã ou no fim do dia, em locais protegidos do sol, e a fazer pausas nas aulas.

O estado de alerta é definido quando a umidade do ar fica entre 20% e 30%. De acordo com a Climatempo, há a possibilidade até mesmo de a capital entrar novamente em emergência neste sábado, quando os níveis de umidade podem ficar abaixo de 20%.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, a umidade mínima registrada ontem foi de 20%, às 15 horas. "Já estava previsto que ia aumentar, mas que não iria resolver o problema", afirma o meteorologista Franco Vilela. De acordo com ele, três acontecimentos justificam o índice mínimo de 10% de anteontem. "A capital estava sob domínio de uma massa de ar seco proporcionada pela alta pressão. Aliado a isso, há estiagem de quase 35 dias e os ventos sopravam do norte, não deixando a umidade do oceano chegar à capital."

Para se ter uma ideia da melhora no tempo seco de um dia para o outro, às 16 horas de ontem o Aeroporto de Congonhas, na zona sul, registrava umidade de 50%. No mesmo horário na terça-feira o índice era de 10%. "O atípico foi a queda brusca de ontem (anteontem) e não o aumento da umidade. Há uma frente fria passando pelo alto-mar que consegue trazer mais umidade", afirma a meteorologista da Climatempo Aline Tochio.

Interior. Ontem, algumas cidades ficaram com índices de umidade menores do que o da capital. Em São José dos Campos, por exemplo, o índice foi de 15%. Em Presidente Prudente, a umidade foi de 20% e em Jundiaí, 24% - todos esses municípios entraram em estado de alerta.

Segundo o Inmet, algumas cidades do Noroeste do Estado vão completar 40 dias sem chuva. É o caso de Votuporanga, onde não chove desde 13 de julho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.