Tempo seco deixa cidade em estado de alerta

Umidade relativa do ar deve voltar a ficar abaixo dos 20% na tarde de hoje; clima vai se manter assim até domingo

BRUNO DEIRO, O Estado de S.Paulo

02 de agosto de 2013 | 02h02

A capital paulista deve entrar novamente em estado de alerta hoje à tarde por causa do tempo seco. Segundo a Climatempo, a umidade relativa do ar em São Paulo ficará abaixo de 20%, a exemplo do que aconteceu no começo da semana. A previsão é de que o clima se mantenha assim até domingo.

Ontem, o índice mínimo registrado foi de 23%, o que manteve a cidade em estado de atenção. Apesar de baixo, foi superior aos dois dias anteriores, quando a mínima verificada chegou a 14%, próxima da marca que caracteriza estado de emergência (abaixo de 12%).

A baixa umidade durante toda a semana já tem aumentado a procura de pacientes com doenças respiratórias nos prontos-socorros. De acordo com Clystenes Odyr Silva, pneumologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), nesta época do ano o número de atendimentos nos hospitais costuma crescer até 30%.

"Essa característica do clima, com o ar frio, seco e poluído, é uma 'trinca maldita' para quem tem doença respiratória. E quem não tem acaba se desidratando", afirma. Segundo o especialista, 10% da população tem asma ou rinite, problemas que são agravados nessas condições climáticas.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estabelece que índices abaixo de 60% de umidade do ar não são adequados para a saúde. Abaixo de 20%, as recomendações principais são evitar exercício físico ao ar livre entre 10h e 16h e beber bastante água. "Em dias ensolarados, muitas pessoas aproveitam para fazer exercício, o que pode ser prejudicial", orienta Silva.

O alerta serve para o fim de semana. "Nos próximos dias, o tempo vai continuar ensolarado, quente e seco, com a umidade perto ou pouco abaixo de 20%. Teremos um pouco mais de vento a partir da tarde de domingo e a umidade pode subir, mas ainda deve ficar em 30%", diz Marcelo Pinheiro, meteorologista da Climatempo. Segundo ele, o ar seco é consequência da massa polar que passou pelo País nas últimas semanas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.