Temos de parar de investir em avenidas

Eu acho que foi uma decisão acertada desistir de construir obras viárias desse porte porque, neste momento, vamos discutir a revisão do Plano Diretor e toda a Lei de Zoneamento. Fazer uma obra dessa monta quando a cidade está precisando alterar seu modelo "rodoviarista" seria desrespeitar os outros processos em andamento, como a construção de corredores de ônibus e de mais estações do metrô.

COORDENADOR DE ARQUITETURA DO MACKENZIE, Valter Caldana, COORDENADOR DE ARQUITETURA DO MACKENZIE, Valter Caldana, O Estado de S.Paulo

17 de agosto de 2013 | 02h09

A agenda da cidade mudou após os protestos. Estamos na hora de decidir que cidades nós queremos. E para mudar o modelo teremos de parar de investir em avenidas.

Os protestos de junho deixaram claro que nós não podemos continuar fazendo a cidade do mesmo jeito, pensando nela da mesma forma. Os investimentos em projetos viários precisam ser redirecionados para outras áreas mais prioritárias. No Plano Diretor, por exemplo, precisamos definir quais áreas vão poder crescer e tentar definir um rumo que priorize o transporte público. É isso o que a maior parte da população precisa no momento, para inverter a lógica de crescimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.