Tema preocupa entidades atléticas universitárias

A tragédia na boate Kiss acendeu também um sinal amarelo entre os estudantes que organizam festas de faculdades. "A atenção, que já era grande, será redobrada", diz Gabriel Issa, de 22 anos, aluno de Direito da PUC-SP e presidente da Atlética 22 de Agosto. Segundo ele, será "natural" uma cobrança nesse sentido. Luna Delazari, de 20, estudante de Arquitetura do Mackenzie, diz que os locais de eventos normalmente são vistoriados pelas empresas de segurança contratadas. "Daqui para frente, essa preocupação será de todos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.