Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Tem Portinari no Limão e meninas na Casa Verde

Cinco curiosidades sobre dois importantes bairros da zona norte;

O Estado de S. Paulo

29 de setembro de 2015 | 18h26

O rico militar paulista José Arouche de Toledo Rendon, nascido em 1756, é um dos mais famosos proprietários do sítio da Casa Verde - terras que dariam origem ao bairro. Ali ele plantou café e há registros de que tenha sido o primeiro exportador do produto, e também o responsável por trazer a cultura do chá para a capital. Foi o primeiro diretor da faculdade de direito do Largo São Francisco, da USP, e tinha sete irmãs. As meninas ficaram famosas como as "moças da casa verde", o que teria dado origem ao nome do bairro. 

1. As meninas da Casa Verde 

Consta que eram sete as irmãs do militar José Arouche de Toledo Rendon, as chamadas "meninas da Casa Verde", cuja fama fez se firmar o nome do bairro. Rendon era dono das terras que no futuro seriam loteadas, e havia em sua fazenda uma Casa Verde (veja uma imagem neste link). Parece que ele também vivia em uma casa verde, ou de janelas verdes, no centro da cidade e perto da faculdade de direito da USP, da qual foi o primeiro diretor. De um jeito ou de outro as famosas moças (Caetana, Joaquina, Maria Gertrudes, Pulquéria, Ana, Gertrudes e Rudesinda) eram mesmo de alguma casa verde. Morreram todas solteiras, parece, quando já eram chamadas de "as velhas da Casa Verde". A última a partir foi Caetana. 

2. Meu limão, meu limoeiro

Não se sabe se o bairro do Limão tem esse nome porque as pessoas viviam indo até os pomares da região buscar a fruta ou se, como diz a história popular, os primeiros a avançarem por aquelas terras encontraram, na divisa com a Freguesia do Ó (que durante muito tempo absorveu o bairro), um pé de limão-bravo.

3. Tem um Portinari no Limão

Em 1976, a sede do Estadão deixa o prédio na Major Quedinho, no centro, e se muda para o endereço atual, na Engenheiro Caetano Álvares, levando consigo a obra Fundadores, encomendada a Candido Portinari e realizada entre 1950 e 1952.

4. Marginal Tietê

A marginal do Tietê começou a ser construída nos anos 50, com o acesso da Ponte das Bandeiras à Vila Maria para chegar à via Dutra e se tornou uma alternativa às vias tortuosas do centro da cidade para viagens de um bairro a outro. "Foi entregue ao tráfego anteontem trecho da avenida Marginal Direita do rio Tietê, compreendido entre a ponte das Bandeiras e a ponte do Limão, numa extensão aproximada de 2 quilômetros e meio", noticiou o Estado em 1956. As obras estenderam-se até a década de 70. Saiba como era a cidade antes da marginal ser aberta.

5. É Carnaval

O Limão e a Casa Verde reúnem cinco das escolas de samba de São Paulo: Rosas de Ouro, Unidos do Peruche, Império da Casa Verde, Mocidade Alegre e Morro da Casa Verde. A propósito, fica no bairro do Limão a Rua Rosas de Ouro, em homenagem à tradicional agremiação, fundada em 1971. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.