Telas não devem ser vendidas

Os cinco quadros levados anteontem do Museu de Arte Moderna de Paris devem valer 200 milhões, mas jamais serão colocados à venda, afirmam especialistas em cubismo e os responsáveis pela investigação criminal. O prefeito de Paris, Bertrand Delanoë, reconheceu que existia uma "falha parcial" nos alarmes do museu desde março. No entanto, ontem, o secretário de Cultura de Paris, Christophe Girard, disse que nem o diretor do museu havia sido informado do problema.

, O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.