Tela de Segall é comprada por R$ 1,4 milhão

Obra adquirida pelo governo estadual para a Pinacoteca do Estado vai ser exibida para o público a partir de terça

Camila Molina, O Estado de S.Paulo

12 Fevereiro 2011 | 00h00

A Secretaria de Estado da Cultura adquiriu em dezembro, por R$ 1,4 milhão, a tela Emigrantes III, pintada por Lasar Segall, em 1936, para a coleção da Pinacoteca do Estado de São Paulo, unidade estadual. Na segunda-feira, às 11 h, a obra, comprada da família do artista, será apresentada em cerimônia no museu. A partir de terça-feira, o quadro será exibido para o público.

Segundo o secretário de Cultura, Andrea Matarazzo, o governo investiu R$ 3 milhões em aquisições de obras para o museu em 2010 - incluindo o R$ 1,4 milhão pago pela obra de Segall. Foram comprados para a instituição no ano passado trabalhos de artistas como Mira Schendel, Marcello Nitsche, Goeldi e José Roberto Aguillar. Matarazzo ainda diz que o orçamento total dedicado ao museu em 2010 foi de R$ 15 milhões, entretanto, não informou o investimento para a Pinacoteca em 2011. O secretário reafirmou, como o Estado revelou no mês passado, a abertura de uma unidade da Pinacoteca em Botucatu, no interior.

As negociações para a aquisição de Emigrantes III foram rápidas. Matarazzo afirma que o diretor da Pinacoteca, Marcelo Mattos Araujo, indicou em novembro que a obra "havia surgido no mercado". A sugestão de compra do óleo sobre tela de 86 x 197 cm, em poder da família de Lasar Segall (1891-1957) - pintor nascido na Lituânia mas que, vivendo no Brasil a partir de 1923, se tornou um dos principais expoentes do modernismo brasileiro - foi aprovada pelo Conselho de Orientação Artística do museu. A tela era da família do artista e não fazia parte da coleção do Museu Lasar Segall, órgão do governo federal.

Em 1997, a mesma obra teve sua venda cancelada em leilão da Christie"s, em Nova York, porque não atingiu seu preço de mercado, então avaliado entre US$ 800 mil e US$ 1 milhão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.