Técnico em raio X filmava mulheres trocando de roupa

Profissional é acusado de esconder câmeras até em ralos de banheiros; ele afirmou à polícia que apenas guardava as imagens

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

11 Agosto 2014 | 09h09

SOROCABA - O técnico em radiologia Manuel Ávila, de 50 anos, de Sorocaba, no interior de São Paulo, é acusado de usar câmeras escondidas para filmar mulheres e adolescentes enquanto trocavam de roupa para os exames nas clínicas em que trabalhava. Ele está preso desde sexta-feira, 8. A ação do criminoso, mostrada domingo, 10, pelo programa Fantástico, da Rede Globo, foi denunciada pela ex-mulher. As câmeras eram escondidas até nos ralos dos banheiros usados pelas pacientes para a troca de roupa. 

Os vídeos e CDs com as imagens foram encontrados num porão com entrada secreta, na casa dele. De acordo com a delegada Ana Luíza Salomone, que investiga os crimes, o acusado fez as filmagens em todas as clínicas em que trabalhou nos últimos dez anos, em cidades como Sorocaba, Itapetininga, São Roque e São Paulo. Quando foi preso, ele atendia numa clínica de Barueri, na Grande São Paulo. Entre as vítimas, estão adolescentes e crianças.

Nascido em Lima, no Peru, o técnico está no Brasil há mais de vinte anos e também já trabalhou nas áreas de tomografia e ressonância magnética. Ávila alegou à polícia que as imagens foram feitas por outros funcionários e ele apenas as guardou. Ele foi levado para a cadeia pública de Pilar do Sul e terá pedida a prisão preventiva. A delegada quer apurar se as imagens foram distribuídas ou fornecidas a redes de pedofilia. Os donos das clínicas onde ele trabalhou serão intimados para prestar depoimento.
Mais conteúdo sobre:
São Paulo Sorocaba Raio X

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.