TCU vai avaliar legalidade de acordo com Cuba

Após encontro ontem com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, afirmou que o formato de contratação "é uma questão singular, incomum". O órgão abrirá processo para avaliar a legalidade do acordo firmado entre o governo federal e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) para trazer médicos cubanos.

O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2013 | 02h02

Uma diligência foi realizada no ministério e, nos próximos dias, toda a documentação do convênio será encaminhada ao TCU. Os ministros levantaram preocupações com questões trabalhistas. Nardes disse que os técnicos analisarão a economicidade e a legalidade do contrato.

Padilha afirmou que o objetivo é aprimorar o programa. "O que nos move é levar médicos para a população que não tem. Vamos usar todas as estratégias na lei."

Tudo o que sabemos sobre:
Mais MédicosTCUCuba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.