TCE Divulgação
TCE Divulgação

TCE acha até cobra no meio de brinquedos em creche no interior

Fiscalização em 215 unidades municipais também encontrou cadeiras quebradas, fios elétricos e extintores de incêndio vencidos

Rene Moreira, especial para o Estado

17 de outubro de 2018 | 14h23
Atualizado 18 de outubro de 2018 | 16h54

FRANCA - Uma fiscalização do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP) realizada em 215 creches municipais encontrou cadeiras quebradas, fios elétricos à mostra, extintores de incêndio vencidos, goteiras, problemas de higiene e até uma cobra no meio dos brinquedos das crianças. A cascavel saiu de dentro de uma caixa de madeira, e os bombeiros tiveram de ser acionados por funcionários da unidade de ensino.

Em Jaú, onde foi achada a cobra, 13 creches receberam visitas dos agentes, que encontraram ainda uma caixa de marimbondo e um formigueiro na área onde as crianças ficam. As vistorias foram realizadas no dia 27 de setembro em unidades da região metropolitana, do interior e do litoral do Estado. O relatório com as anotações da equipe de fiscalização e as imagens foi divulgado nesta terça-feira, 16. 

A Secretaria Municipal de Educação de Jaú confirmou nesta quinta-feira, 18, que uma cobra foi encontrada em uma creche da cidade. Mas disse que "foi uma ocorrência pontual e única na unidade escolar, que fica bem próxima ao Córrego da Figueira". 

"Diante da eventualidade, na mesma semana, o departamento responsável tomou as providências cabíveis, instalando telas de proteção específicas para garantir a segurança de todos", afirmou a Secretaria de Educação sobre o que foi feito na época.

Em todo o Estado, a fiscalização, que envolveu 290 agentes, apontou ainda que 84,19% das creches estão com o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) vencido. Também foram encontrados muitos brinquedos quebrados, vários deles colocando em risco a segurança das crianças.

Sobre a caixa de marimbondos encontrada perto de uma sala de aula, a secretaria alegou que era "uma espécie de abelha que não representava risco nenhum às crianças". 

A pasta declarou ainda que "outros problemas apontados estão sendo averiguados para que sejam equacionados com celeridade" e que o objetivo é "zelar pela segurança e qualidade dos serviços prestados aos munícipes".

Providências

Em nota, o TCE afirmou que o objetivo da fiscalização foi elaborar um levantamento sobre as demandas, identificar critérios de atendimento, verificar numero de vagas e avaliar a infraestrutura.

"Com base neste relatório será possível traçar um mapa da situação das creches municipais de todo o Estado que atendem crianças de 0 a 3 anos", informou o tribunal. Com isso, o TCE quer "permitir ao administrador que tome conhecimento e repare as possíveis falhas", completou. 

As prefeituras agora serão notificadas e terão de informar quais medidas tomarão para solucionar a situação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.