Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

'Taxistas vão adorar avaliação porque são competentes e obedientes'

Adilson Amadeu, autor do projeto aprovado na Câmara, fala sobre avaliação quer será feita pelo passageiro e poderá render multa

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

09 de setembro de 2015 | 21h40

Autor do projeto de lei que proíbe o aplicativo Uber em São Paulo, o vereador Adilson Amadeu (PTB) criticou a forma como a empresa entrou em diversos países e mais especificamente em São Paulo. Sobre a proposta aprovada, que prevê que passageiros avaliem os taxistas - o que pode render até multa -, ele afirmou que os motoristas profissionais vão adorar: "Eles são competentes, inteligentes, obedientes". A seguir, a entrevista:

Por que o senhor é contra o Uber?

Não sou contra o Uber nem contra a tecnologia. Sou contra a maneira como o Uber entrou em diversos países e em São Paulo. Eles não vieram falar em audiências públicas nem com os vereadores. Simplesmente deixaram acontecer e faturaram, levando à evasão de divisas. 

Não há espaço para taxistas competirem com os motoristas do Uber?

Tem muita fila para ser taxista - gente que tem condutax (alvará) e é segundo motorista de alguém. Primeiro temos de avaliar esses motoristas (do Uber) e fazer uma regulamentação diversa para todos os aplicativos. Mas, primeiro, temos de atender os profissionais taxistas que já estão esperando na fila seu alvará.

Emenda da Prefeitura estabeleceu que os taxistas serão avaliados pelos usuários e podem ser multados. Como o senhor vê isso?

Os taxistas vão adorar essa avaliação, porque são competentes, inteligentes, obedientes e passam no DTP (Departamento de Transporte Público).

Tudo o que sabemos sobre:
São PauloAdilson AmadeuUber

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.