Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Taxistas protestam no Masp contra aplicativos de transporte

Parte de uma campanha nacional, a proposta do 'Dia D' é caminhar até o MPF para entregar um abaixo-assinado e um dossiê com queixas da categoria

Juliana Diógenes e Felipe Rau, O Estado de S.Paulo

23 Agosto 2016 | 12h37

SÃO PAULO - Cerca de 50 taxistas contrários à Uber e outros aplicativos de transporte, regulamentados pelo prefeito Fernando Haddad (PT), protestam na manhã desta terça-feira, 23, no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), no centro da capital. O ato teve início por volta das 10h30.

Os participantes prometem caminhar até a sede do Ministério Público Federal (MPF), na Rua Frei Caneca, para entregar um dossiê e um abaixo-assinado. O objetivo é apresentar um material com todos os problemas que os taxistas passaram a enfrentar após a entrada do que chamam de "transporte clandestino". Os motoristas de táxi também levarão ao órgão um abaixo assinado pedindo a revogação do decreto publicado pela Prefeitura que legaliza os aplicativos de transporte na cidade.

A Polícia Militar não informou o número oficial de taxistas presentes no protesto. No ato, os taxistas usam nariz de palhaço e exibem cartazes com críticas a Haddad. Uma das faixas questiona: "Prefeito Fernando Haddad, o que você fará pelos 40 mil taxistas que você deixou desempregados na cidade de São Paulo?".

A manifestação faz parte de uma campanha nacional da categoria, o "Dia D" ou "Dia da Injustiça", segundo o Sindicato dos Motoristas nas Empresas de Táxis no Estado de São Paulo (Simtetaxis).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.