ROGERIO CAVALHEIRO/FUTURA PRESS
ROGERIO CAVALHEIRO/FUTURA PRESS

Taxistas jogam ovos em defensores do Uber em frente à Câmara

Integrantes do Movimento Brasil Livre davam entrevista sobre aplicativo; PMs usaram gás pimenta para conter confusão

Alexandre Hisayasu, O Estado de S. Paulo

30 Junho 2015 | 17h18

SÃO PAULO - Enquanto quase mil taxistas aguardam os vereadores votarem sobre a proibição ou não do aplicativo Uber em São Paulo, a situação está tensa do lado de fora do plenário. 

Por volta das 16h, dois integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL), Alexandre Júlio e Fernando Holiday, foram atingidos por ovos enquanto davam uma entrevista para a TV Gazeta. Eles defendem o uso do aplicativo. 

"Levei chutes e tapas. Estávamos explicando porque somos a favor do aplicativo, já que beneficia o consumidor. Aí, os sindicalistas começaram a nos hostilizar", contou Holiday, que é coordenador nacional do movimento. 

Guardas municipais e policiais militares separaram a briga. Os PMs usaram gás pimenta e os integrantes do movimento foram embora por questão de segurança. 


Mais conteúdo sobre:
UberSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.