Táxi fica 10% mais caro em Cumbica

Reajuste em única cooperativa que atende aeroporto é o dobro do aplicado em Guarulhos

NATALY COSTA, O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2012 | 03h08

Pegar um táxi no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, ficou ainda mais caro. Desde ontem, a corrida aumentou quase 10% - 9,85% - nos táxis credenciados da Guarucoop, única cooperativa autorizada a trabalhar no local. A prefeitura também reajustou a tarifa da frota no restante da cidade em 5,3%.

Agora, uma viagem do aeroporto para Pinheiros, na zona oeste da capital, custa R$ 130,23 - antes, saía por R$ 118,55. Para o Morumbi, na zona sul, custa R$ 155 - ante os R$ 141,99 cobrados até domingo.

Para as regiões da Pompeia e Vila Mariana, respectivamente nas zonas oeste e sul, a corrida que antes tinha o custo de pouco mais de R$ 110 subiu para R$ 121,47, no primeiro bairro, e para R$ 120,84 no segundo.

Pelo decreto, os taxistas do aeroporto continuam sem poder fazer uso da bandeira 2 (mais cara que a 1, praticada à noite, na madrugada e em fins de semana) ou cobrar pelo transporte de malas.

Para a estudante de Administração de Empresas Érika Lins, de 24 anos, que viaja pelo menos uma vez por mês por Cumbica para visitar a família em Salvador, o preço cobrado pelos táxis de Guarulhos é "absurdo".

"Na ida, vou com um motorista amigo que cobra mais barato. Na volta, nem sempre dá, então tenho de tomar um táxi do aeroporto mesmo. É quase o preço da passagem de avião", conta ela, que mora na região da Avenida Paulista, no centro, e pagava R$ 104,66 para chegar em casa. Agora, vai gastar R$ 114,96 - o aeroporto fica a cerca de 30 km da área central de São Paulo.

Salários. Para o presidente do Sindicato dos Taxistas Autônomos de Guarulhos, Robson de Jesus Xavier, o aumento era necessário porque o salário dos taxistas estava defasado. "Todo trabalhador tem direito a reajuste, com o taxista não é diferente." Sobre o fato de o terminal ser servido por uma única empresa, que cobra preço tabelado - por região e não pelo taxímetro -, Xavier diz não ver problema. "Não enxergo monopólio aí."

Em nota, a prefeitura de Guarulhos informou que o aumento foi baseado no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e no valor do combustível. A tabela dos táxis do aeroporto aumentou mais do que a dos veículos de rua porque, segundo a administração, o último reajuste para os táxis do terminal foi em março de 2010 - e para os de rua, em 2011.

Além do ponto oficial no desembarque de Cumbica, alguns carros da Guarucoop agora apanham passageiros fora do ponto, no embarque.

"Ganhamos vagas no embarque e fazemos isso de maneira oficial. É para pegar o passageiro que acabou de chegar mas, de repente, esqueceu o passaporte em casa ou algo do tipo. Também é uma forma de evitar os carros clandestinos", diz o presidente da Guarucoop, o vereador Edmilson Sarlo (PHS).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.