Tarde de segunda deve ter trânsito lento

Apelo do prefeito Fernando Haddad (PT) não faz bancos e shoppings mudarem horários; associação comercial diz ter orientado filiados

Adriana Ferraz e Rafael Italiani, O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2014 | 02h02

A Prefeitura procurou convencer empresas e comércio a escalonar mais os horários de saída de funcionários - em comparação com a terça-feira desta semana -, mas não obteve grandes avanços. Dessa forma, São Paulo deve voltar a registrar altos índices de congestionamento, a partir da hora do almoço de segunda-feira. Haverá volta do feriado prolongado, jogo entre Holanda e Chile no Itaquerão e da seleção brasileira contra Camarões, em Brasília.

Assim como ocorrerá em todos os jogos do Brasil, o funcionamento das agências bancárias será encerrado às 12h30 e os shoppings fecharão as portas só uma hora antes da partida da seleção, marcada para 17h. Nesse caso, o apelo do prefeito Fernando Haddad (PT) não surtiu efeito. Ontem, logo pela manhã, a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) e a Associação Brasileira dos Lojistas de Shoppings (Alshop) anunciaram que não modificariam a programação prévia.

"Somos contrários a que se pare a cidade mais uma vez em nome do trânsito. Se a cidade não tem capacidade de organizar o trânsito, que não prejudique o empresário que tem contas para pagar", afirmou Nabil Sahyon, presidente da Alshop.

Para ajudar no fluxo, porém, a Associação Comercial de São Paulo afirmou que as mais de 40 mil empresas associadas foram orientadas a dispensar os funcionários mais cedo. "Estamos pedindo para liberar primeiramente os funcionários que moram mais longe, evitando que todos saiam ao mesmo tempo. Recomendamos que a saída do trabalho seja feita de forma inteligente", afirmou o presidente Rogério Amato. Ele disse ainda que o feriado no dia do jogo causaria prejuízos ao setor. "Trabalhando durante o período da manhã normalmente, é uma forma de faturar."

Apesar de não conseguir firmar acordos com os diversos setores da economia, a vice-prefeita, Nádia Campeão (PCdoB), não se mostrou frustrada. Disse que é difícil padronizar tantas áreas e reforçou que espera "bom senso". Segundo ela, cada um deve fazer o seu papel, tendo em vista a dinâmica da metrópole. "Claro que nós vamos ter ainda congestionamento, movimento superior ao de um dia normal, mas se distribuirmos (os deslocamentos) a partir do meio-dia, até as 16h, evitaremos os transtornos de comprometer o jogo."

Feriado. O pedido para escalonar a liberação dos funcionários foi feito depois que a Câmara Municipal negou, pela segunda vez, conceder autorização ao Executivo para decretar novos feriados. Depois do caos registrado no trânsito de terça-feira, quando a cidade alcançou 302 km às 15h, uma hora antes do jogo entre Brasil e México, o prefeito Haddad pretendia transformar o dia em feriado. Mas não houve quórum suficiente para abrir a votação.

Com a derrota imposta pelos vereadores, a Prefeitura anunciou uma série de medidas para tentar amenizar os impactos das partidas marcadas para segunda-feira. O rodízio de veículos, por exemplo, foi estendido e valerá das 7h às 20h para carros de placas 1 e 2. As faixas de ônibus vão funcionar durante todo o dia e os servidores municipais terão ponto facultativo.

"Vamos colocar faixas, avisando os motoristas em relação a isso. E toda orientação é para dar prioridade ao transporte coletivo. Quem puder, nesse dia, não se locomover de carro, ajudaria muito. E quem precisar, procure pegar ou dar carona", pediu o secretário de Transportes, Jilmar Tatto (PT).

As interdições na Radial Leste, por causa da partida na Arena Corinthians, são uma das principais preocupações do secretário. Em um dia comum de trabalho, sem feriado, qualquer restrição na via provoca um impacto grande em toda a cidade. Em função disso, Tatto também pede à população para evitar deslocamentos e procurar assistir ao jogo onde estiver.

A Prefeitura vai avaliar os resultados das medidas anunciadas. Se derem resultado, podem repetir-se nos demais dias de jogos, caso a seleção brasileira avance no Mundial./COLABOROU CAIO DO VALLE

Radial Leste. A Prefeitura pretende liberar a Radial Leste no sentido bairro antes das 17h, segundo a vice-prefeita Nádia Campeã (PC do B), conforme o público que estiver na Arena Corinthians para o jogo entre Chile e Holanda esvaziar a região. A medida é mais uma tentativa da administração municipal para diminuir o trânsito na região. A via será interditada a partir das 7h e a previsão era de fosse liberada dez horas depois.

Para contornar a restrição de carros e ônibus, a Avenida José Pinheiros Borges, que fica fechada durante as partidas, será liberada somente para tráfego de ônibus. Nádia explicou que o trecho vai funcionar como um corredor de ônibus. /RAFAEL ITALIANI

Tudo o que sabemos sobre:
copa 2014trânsito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.