Tapetes do Corpus Christi levam turistas ao interior

Raspas de couro, serragem e pó de café foram alguns dos materiais usados na decoração em Franca

Rene Moreira, ESPECIAL PARA O ESTADO

19 de junho de 2014 | 20h08

FRANCA - Milhares de fiéis foram às ruas do interior de São Paulo nesta quinta-feira, 19, celebrar o Corpus Christi. Os tradicionais tapetes coloridos sobre o asfalto começaram a ser confeccionados na madrugada.

Após dois anos sem missa campal e tapetes nas ruas por causa das ruas, Franca realizou a cerimônia tranquilamente em tempos de seca. Raspas de couro, serragem e pó de café foram alguns dos materiais usados na decoração que atraiu mais 6 mil fiéis e turistas à procissão.

Em São Pedro, a estiagem teve efeito contrário, uma vez que a cidade tem ficado de torneiras secas com frequência. Lá, a prefeitura decidiu proibir alguns materiais na decoração porque, entre outros motivos, exigem água na confecção dos tapetes e depois na limpeza. O jeito foi cobrir as ruas com tecido, do tipo TNT, e ter a colaboração dos fiéis que decoraram suas casas no trajeto da procissão.

Em Matão, a tradição fez com que a cidade ficasse cheia de turistas. Várias ruas da área central foram decoradas com os tapetes e a expectativa era receber 60 mil pessoas. Barracas de ambulantes foram montadas para dar suporte ao turismo religioso. Em Ibitinga, cidade do bordado, as ruas foram enfeitadas com materiais doado por confecções. São edredons e outras peças que depois serão doadas para entidades. Na Grande São Paulo, Santana de Parnaíba também mantém a tradição dos tapetes.

Tudo o que sabemos sobre:
Corpus Christi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.