Tamanduateí terá margens mapeadas

Órgão estadual pede estudo ao IPT para evitar desmoronamentos no leito, como aconteceu anteontem na zona leste

O Estado de S.Paulo

19 Janeiro 2013 | 02h02

O Departamento de Água e Energia Elétrica (Daee) vai contratar na semana que vem um estudo sobre a situação das margens do Rio Tamanduateí, que vai da Avenida do Estado, na capital, à Avenida dos Estados, em cidades do ABC paulista, para tentar antecipar o surgimento de crateras como a que apareceu anteontem na região da Vila Prudente, zona leste da cidade.

O estudo será feito pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), mas os detalhes sobre custos, prazos e detalhes só devem ser divulgados, segundo a Secretaria de Estado de Saneamento e Recursos Hídricos, quando o convênio for assinado - a data exata não foi especificada.

A cratera bloqueou uma faixa de circulação da margem da pista sentido São Paulo da avenida. O local já estava com tráfego interditado porque técnicos da Prefeitura e do governo do Estado haviam detectado rachaduras nas margens e rompimento do asfalto.

A expectativa do Daee é de manter as obras na área afetada ao longo deste fim de semana. "Continuam os trabalhos para diminuir a pressão sobre o muro lateral do rio, serviço fundamental para a proteção da pista e da lateral do Tamanduateí. O próximo passo será o jateamento de concreto com reforço de metal", informa nota do Daee.

"Em 30 dias, o Daee entregará pelo menos uma das faixas obstruídas para que a Prefeitura recomponha o asfalto", diz o texto. É o primeiro desmoronamento na margem do rio na capital desde que o leito foi canalizado, há 30 anos, afirma a nota do departamento. / BRUNO RIBEIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.