Tamanduá na pista causa acidente e 3 mulheres morrem no interior de SP

Motorista conseguiu evitar atropelamento do animal, mas perdeu controle da direção; cidade de Mesópolis, onde trabalhavam, decretou luto

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2019 | 20h20

SOROCABA - Três servidoras da saúde - uma médica, uma dentista e uma fisioterapeuta - morreram quando o automóvel em que viajavam ficou sem controle ao desviar de um tamanduá e bateu em uma árvore, na rodovia vicinal Odilon Nogueira de Aguiar, nesta quinta-feira, 17, em Mesópolis, interior de São Paulo. Outras duas pessoas que estavam no carro ficaram feridas.

As vítimas, a médica Chimeni Castelete Campos, de 35 anos, a dentista Luciana Leiko Sugai, de 39, e a fisioterapeuta Luély Carla de Souza, de 26, trabalhavam na principal Unidade Básica de Saúde (UBS) de Mesópolis e seguiam para o trabalho. As servidoras eram muito conhecidas na cidade, de 1.880 habitantes. A prefeitura decretou luto oficial por dois dias.

Os sobreviventes, um engenheiro agrônomo e um agente de saúde, relataram que a médica dirigia o carro, quando um tamanduá atravessou a pista. Ela conseguiu evitar o atropelamento, mas invadiu a pista contrária, onde teve ainda que desviar de outro veículo e acabou perdendo o controle da direção. O carro saiu da estrada e chocou-se com a árvore. 

O Corpo de Bombeiros foi acionado para retirar as vítimas, presas nas ferragens. O agrônomo foi internado na Santa Casa de Jales, com fraturas na perna e no braço. O agente de saúde teve ferimentos leves. Com o decreto de luto assinado pelo prefeito Carlos Garcia (DEM), as unidades de saúde e outras repartições municipais fecharam as portas durante todo o dia e não abrem nesta sexta-feira, 18. A Polícia Civil abriu inquérito para apurar as causas do acidente.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.