TAM insiste que Airbus estava em condições de voar

Mecânico atestou que havia um defeito no reverso de turbina do avião em Porto Alegre

25 de julho de 2007 | 15h44

O vice-presidente técnico da TAM, Rui Amparo disse que em Porto Alegre, local de onde o avião da TAM que explodiu em São Paulo na terça-feira, 17, decolou, um mecânico atestou que havia um defeito no reverso da turbina direita do Airbus, mas que ele estava apta a voar. O aparelho é utilizado para auxiliar a frenagem do avião. Veja também: Documento oficial utilizado pela TAM (1)   Documento oficial utilizado pela TAM (2) Documento oficial utilizado pela TAM (3) Documento oficial utilizado pela TAM (4) Documento oficial utilizado pela TAM (5) "Avião com reverso travado não significa insegurança. Nós temos absoluta certeza de que aquele avião estava seguro para voar", disse Amparo, durante uma apresentação nesta quarta-feira, 25, à CPI do Apagão, em que mostrou os procedimentos que foram feitos no Airbus A320 que caiu em São Paulo na última terça-feira, 17.  Ao ser perguntado se não seria mais seguro substituir a aeronave por uma que estivesse 100% funcionando, o vice-presidente da TAM afirmou que o avião estava perfeito para pousar naquelas condições. "A distância requerida para o pouso do A320 é de 1300 metros. Com chuva, acrescentamos 55 metros. Se Congonhas tem 2 km, nós tínhamos pelo menos 50% de coeficiente de segurança", disse ainda Amparo.  Amparo se mostrou frustrado com o fato de noticiários de televisão terem divulgado, como se fosse uma grande revelação, que o reverso do avião estava quebrado, alegando que tinha dado a informação à imprensa "desde o primeiro dia" em que se pronunciou. 

Mais conteúdo sobre:
vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.