TAM aguarda detalhamento de medidas para Congonhas

Conselho Nacional de Aviação se reunirá na tarde desta terça-feira, para definir a regulamentação de medidas

Téo Takar

24 de julho de 2007 | 14h43

O vice-presidente Financeiro e de Relações com Investidores da TAM, Líbano Miranda Barroso, afirmou nesta terça-feira, 24, durante teleconferência com analistas e investidores, que a companhia aguarda o detalhamento das medidas anunciadas na semana passada pelo Conselho Nacional de Aviação Civil (Conac), especialmente em relação ao aeroporto de Congonhas, antes de revisar suas projeções (guidances) para este ano.   A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) vai se reunir nesta tarde para definir a regulamentação das medidas anunciadas na última sexta-feira pelo Conselho de Aviação Civil (Conac).   "Ainda é cedo para avaliar o impacto das medidas. O Conac determinou à Anac  que faça o detalhamento das medidas nos próximos 60 dias. Por enquanto não temos clareza sobre essas medidas. Sabemos apenas o que foi publicado no Diário Oficial", afirmou.   Líbano disse que, por enquanto, estão mantidas as estimativas de crescimento de 10% a 15% da demanda de passageiros e de redução de 5% a 10% no yield. Mas admitiu que estes números, bem como o plano de frota, deverão ser reavaliados em função da decisão do Conac de transformar Congonhas em um aeroporto exclusivamente para vôos diretos.   "Já sabemos que Congonhas não poderá ser mais um hub (aeroporto de conexões). Vamos avaliar agora, dado o novo cenário de conectividade da malha aérea, como faremos para atender à demanda", comentou. "Tão logo tenhamos o detalhamento das medidas, vamos analisar o load factor (taxa de ocupação) dos novos vôos e reavaliar nosso plano de frota para poder atender melhor às necessidades de conectividade de nossos passageiros."

Tudo o que sabemos sobre:
Vôo 3054, crise aérea

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.