Suzane Von Richthofen deve ter pena recalculada

Estudante condenada por matar os pais já teria cumprido um sexto da pena e poderia mudar de regime

Elvis Pereira, da Central de Notícias,

14 Maio 2009 | 02h55

Condenada a 39 anos e 6 meses de prisão por ter participado do assassinato dos próprios pais, Suzane Von Richthofen pode sair antes da cadeia. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu à defesa o direito de pedir que a redução da pena seja recalculada. Presa em Tremembé, a jovem trabalha dentro do presídio e, a cada três dias trabalhados, reduz em um dia sua pena. Com o benefício, a defesa pode entrar antes com o pedido de regime semiaberto.

 

A decisão foi tomada pelo ministro Og Fernandes. Para o STJ, o tempo remido, como é chamado o benefício da redução da pena, deve ser somado ao da pena cumprida, e não abatido do total de pena aplicada.

 

O Ministério Público Federal (MPF) deu parecer favorável ao pedido da defesa de rever o cálcuo e, por isso, Fernandes decidiu a questão sozinho. Normalmente, eo pedido seria encaminhado à Sexta Turma do STJ.

 

"A concessão desse habeas corpus implica o acréscimo dos dias remidos à pena já cumprida, permitindo a progressão dela para o regime semiaberto" explicou o advogado de Suzane, Denivaldo Barni Júnior. O advogado ressaltou que Suzane já atingiu, em dezembro de 2008, o cumprimento de 1/6 da pena, o que permite a mudança do regime.

 

Suzane participou do assassinato dos pais, Manfred e Marísia. O casal foi morto a golpes de barras de ferro, na casa em que a família vivia na capital paulista, em outubro de 2002. Além de Suzane, participaram do crime seu ex-namorado Daniel e o irmão dele, Cristian Cravinhos.

Mais conteúdo sobre:
Suzane Von Richthofen

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.