Leonardo Soares/AE
Leonardo Soares/AE

Suspeitos abordaram outro estudante da USP antes de assassinato, diz polícia

Segundo testemunha, homens não anunciaram assalto em ponto de ônibus em frente ao câmpus

estadão.com.br

19 Maio 2011 | 20h07

SÃO PAULO - Antes do assassinato de Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, na Faculdade de Economia e Administração (FEA) da Universidade de São Paulo (USP), dois suspeitos abordaram outro aluno. "Dois indivíduos estavam dentro do saguão e em tese não são estudantes", afirmou nesta quinta-feira, 19, o diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Jorge Carlos Carrasco.

 

Veja também:

linkPolícia divulga imagens e retrato falado de suspeitos

linkAlckmin diz que PM está à disposição para reforçar segurança

som Reitor admite que guarda não garante segurança no câmpus    

 

De acordo com ele, a abordagem aconteceu em um ponto de ônibus que fica em frente à universidade. "Não anunciaram o assalto, mas tudo indica, segundo a testemunha, que ela seria assaltada", disse.

 

Os dois homens aparecem em imagens registradas por câmeras instaladas no câmpus da USP no Butantã, na zona oeste da capital paulista. Paiva foi baleado na cabeça no estacionamento da faculdade por volta das 22h de quarta-feira. A polícia trabalha com a hipótese de que o estudante teria reagido ao assalto.

 

Protestos. O assassinato de Paiva mobilizou os alunos da FEA já na noite de ontem, quando o centro acadêmico da unidade convocou uma manifestação para as 7h15 de hoje, diante da faculdade, que atraiu cerca de 500 estudantes. A maioria deles vestia preto.

 

Uma carta aberta foi distribuída entre os participantes do protesto. Um dos trechos do texto dizia: "A perda de nosso colega escancara de maneira lamentável a necessidade de se debater a segurança no cotidiano universitário."

 

Mais conteúdo sobre:
USPviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.