Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Tiroteio em ônibus deixa suspeito e PM mortos na zona sul de SP

Bando teria iniciado arrastão em coletivo no Jabaquara, quando policial de folga notou ação e reagiu; uma 3ª vítima também morreu

Felipe Cordeiro e Luiz Fernando Toledo, O Estado de S.Paulo

19 Abril 2018 | 18h52
Atualizado 20 Abril 2018 | 16h22

SÃO PAULO - Uma tentativa de assalto a um ônibus intermunicipal terminou em tiroteio e na morte de um policial militar, de um suspeito e de uma terceira vítima ainda não identificada no Jabaquara, bairro da zona sul da capital paulista, no meio da tarde desta quinta-feira, 19. Três homens armados iniciaram um arrastão no veículo, roubando pertences de todos os passageiros, quando se depararam com o agente de folga, à paisana, que reagiu. Outras quatro pessoas ficaram feridas, segundo informou a PM.

+++ Jovem morre baleado em ponto de ônibus na zona sul de SP

A corporação relatou que foi acionada para atender a ocorrência por volta das 16 horas na Avenida Engenheiro Armando de Arruda Pereira. O veículo, da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), trafegava no corredor de ônibus da via no sentido bairro, próximo da Rua Fulfaro, quando o assalto foi anunciado.

+++ PM reage a tentativa de assalto em ponto de ônibus e mata 3 na zona sul

Ainda de acordo com a PM, um dos suspeitos morreu no local. À noite, o segurança Pedro de Carvalho Souza, de 70 anos, pai da vítima, identificada apenas como Damião, de 32 anos, foi ao local do crime. "Eles me avisaram no trabalho o que tinha acontecido", disse o pai. Souza relatou que o filho morava com ele, mas havia ocorrido um desentendimento recentemente. "Ele foi para um mau caminho. E, quando isso acontece, precisamos ficar preparados para o que der e vier."

+++ Passageira e criminoso são baleados em tentativa de assalto a ônibus na zona sul de SP

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Foi para um mau caminho. E, quando isso acontece, precisamos ficar preparados para o que der e vier.
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Pedro de Carvalho Souza, pai do suspeito morto

O policial ferido chegou a ser socorrido para uma unidade de saúde próxima, mas também não resistiu. Ele havia sido atingido no rosto. A corporação não divulgou sua identidade nem onde o policial trabalhava atualmente até as 23 horas. Uma terceira vítima, um advogado filho de um policial, foi levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos, segundo a Rede Globo.

Uma passageira foi baleada no abdome e o motorista do ônibus foi atingido por estilhaços na cabeça. As vítimas foram encaminhadas a unidades de saúde da região. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, no momento a mulher se encontra em estado estável. No veículo, era possível notar ao menos uma marca de disparo, que atingiu o vidro dianteiro, próximo do banco do motorista. Dentro do veículo, um vidro interno, que separava o espaço do motorista da área dos passageiros, foi estilhaçado pelo impacto de outro tiro. 

Investigação

O caso foi registrado no 26.º Distrito Policial (Sacomã), que instaurará inquérito para apuração das circunstâncias do caso. Equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) estiveram no local do crime, mas nem a Polícia Civil nem a Secretaria da Segurança Pública informaram sobre o envolvimento do departamento na investigação.

Dois criminosos estão foragidos. À noite, um suspeito de participar do arrastão chegou a ser detido, mas a polícia não confirmou o envolvimento dele com o crime nem divulgou sua identidade. Por volta das 22h30, quatro viaturas ainda faziam o isolamento da cena do crime e o corpo de Damião aguardava a chegada de equipes do Instituto Médico-Legal (IML) para recolhimento e realização de necropsia. Parte da avenida continuava bloqueada.

Estatística

Até o mês de fevereiro de 2018, a área do 26.º DP não havia registrado nenhum caso de homicídio. No primeiro bimestre, aconteceram 137 roubos, 13 casos a menos do que no mesmo período do ano passado. Ao longo do ano de 2017, a área da delegacia da zona sul registrou apenas dois casos de homicídio, um latrocínio e um total de 997 roubos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.