Suspeito de integrar bando que furtou Masp se entrega

A expectativa é de que Manoel de Lima Sobrinho revele o nome dos mandantes do furto

Paulo R. Zulino e Rodrigo Pereira, de O Estado de S. Paulo,

24 de janeiro de 2008 | 13h22

A Polícia de São Paulo confirmou, no final da manhã desta quinta-feira, que Moisés Manoel de Lima Sobrinho, de 25 anos, se entregou. Sobrinho é um dos suspeitos de envolvimento no furto das obras "O lavrador de café", de Candido Portinari, e "Retrato de Suzanne Bloch", de Pablo Picasso, do acervo do Museu de Arte de São Paulo, em 20 de dezembro de 2007.  De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Segurança Pública, ele se apresentou na companhia de seu advogado, Humberto Macchione de Paula, e presta depoimento. A expectativa do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) é de que ele revele detalhes de como foi a ação e, principalmente, revele o nome do mandante do crime. O acusado, que estava foragido desde o último dia 9 de janeiro, quando a Justiça de São Paulo expediu o mandado de prisão temporária contra ele. No último dia 8, a polícia prendeu outros dois envolvidos no roubo: Robson Jesus Jordão e Francisco Lopes Lima. Foi por meio dos dois presos que os policiais conseguiram encontrar os quadros, avaliados em US$ 55 milhões (cerca de R$ 100 milhões).  Na última quinta-feira passada, 17, a Justiça expediu o mandado prisão temporária de Alexsandro Bezerra da Silva, de 31 anos, que alugou a casa, em Ferraz de Vasconcelos, na Grande SP, onde as telas foram encontradas.

Tudo o que sabemos sobre:
MasprouboManoel de Lima Sobrinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.