Fernando Souza (@fesouzza)/Instagram/Reprodução
Fernando Souza (@fesouzza)/Instagram/Reprodução

Suspeito de estupro morre após bater de frente em caminhão

Em carro roubado, homem fugia na contramão de perseguição policial na Castelo Branco; pista expressa, sentido SP, foi bloqueada

Diego Moura, Felipe Cordeiro e Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

26 Fevereiro 2015 | 07h33

Atualizado às 8h45

SÃO PAULO - Um suspeito de ter roubado um carro e estuprado uma mulher morreu na madrugada desta quinta-feira, 26, após bater de frente contra um caminhão na Rodovia Castelo Branco, na altura de Barueri, na Grande São Paulo. O homem era perseguido por policiais militares e trafegou na contramão por cerca de quatro quilômetros. Ele morreu na hora. O condutor do caminhão não se feriu.

Segundo a Polícia Militar, a perseguição se iniciou por volta das 3h20 no quilômetro 22,5 da rodovia, no sentido São Paulo. O suspeito conduzia um veículo roubado, um Renault Clio, e recusou a ordem de parada para abordagem. 

Policiais da Delegacia Central de Barueri suspeitam que o motorista morto no acidente, cuja identidade ainda não foi informada, também esteja envolvido com outro roubos, além de um estupro praticado na noite anterior, na capital paulista. 

O Renault Clio foi roubado por volta das 9 horas, na manhã da quarta-feira, 25, na Rua Carneiro da Silva, na Vila Leopoldina, na zona oeste da cidade de São Paulo. Aos policiais, a vítima, uma mulher, informou que o assaltante estava armado com uma faca.

Com o carro roubado e a faca, o suspeito teria praticado outros assaltos ao longo do dia, afirma a Polícia Civil. À noite, uma das vítimas de roubo também foi estuprada. Ela anotou a placa usada pelo criminoso e a informou aos policiais do 33º Distrito Policial (Pirituba), onde foi prestar queixa acompanhada do marido. Depois, os policiais passaram a procurar o veículo. 

Por causa da colisão, a pista expressa da Castelo Branco ficou totalmente bloqueada por mais de duas horas. Segundo a concessionária CCR ViaOeste, a via foi liberada por volta das 7 horas. Às 7h30, havia 11 quilômetros de lentidão no local, entre os quilômetros 34 e 23.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.