Suspeita de agredir bebê é levada à prisão mesmo com protesto

Detentas do presídio de Itupeva queimaram colchões e objetos ao saber que mulher seria levada para o local

Rita Cirne, estadao.com.br

19 Março 2009 | 15h55

As presas da Cadeia Pública de Itupeva, a 73 km de São Paulo, fizeram um protesto nesta quinta-feira, 19. Elas queimaram colchões e objetos quando souberam que Valdecina Alves de Almeida, suspeita de agredir um bebê de 1 ano e 2 meses e a mãe dele, em Jundiaí, havia sido transferida para lá. O protesto já foi controlado pela polícia, mas a presa permanecerá mesmo na cadeia do município só que em uma cela separada, segundo informa a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo.

 

Veja também:

linkBebê agredido está na UTI, mas não corre risco de morte

linkPatroa agride empregada e filho em Jundiaí

 

O bebê agredido está internado no Hospital Universitário de Jundiaí, sem de acordo com informações da assessoria do hospital. Segundo a polícia, ele vinha sendo espancado havia vários dias e deu entrada no hospital com traumatismo craniano, escoriações, queimaduras e hematomas por todo o corpo, principalmente nas costas, cabeça e rosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.