Supervisor é assassinado na frente do filho de 9 anos na zona sul

Polícia investiga qual foi a motivação dos criminosos, que permanecem foragidos

William Cardoso, O Estado de S. Paulo,

26 Agosto 2012 | 19h21

SÃO PAULO - O supervisor Vanderlei Cardoso Borges, de 42 anos, foi assassinado neste domingo, na frente do filho de nove anos, na Avenida Mascote, na zona sul de São Paulo. A polícia investiga qual foi a motivação dos criminosos, que permanecem foragidos.

 

Segundo testemunhas, Borges dirigia um Honda Civic pela Avenida Santa Catarina, por volta das 13h45, quando foi abordado por pelo menos três homens em outro carro, de cor escura. Um dos criminosos, que estava no banco traseiro, abriu fogo contra a vítima, que conseguiu manobrar e escapar ao primeiro cerco.

Os bandidos foram atrás e dispararam várias vezes contra a traseira do Civic. Uma das balas atravessou o banco onde estava a criança, que acompanhava o pai e acabou ferida no ombro.

 

Na Avenida Mascote, o supervisor perdeu o controle da direção, bateu em outros dois carros e parou sobre a calçada. A criança contou que um dos bandidos, com touca ninja, desceu do carro que os perseguia e disparou várias vezes contra o seu pai.

 

Segundo a polícia, Borges tinha antecedentes criminais por roubo e extorsão, cumpriu pena e não devia nada à Justiça. O delegado Airton Sante Amore, do 16º Distrito Policial (Vila Clementino), onde o caso foi registrado, disse que ainda não sabe qual foi o motivo do crime. "Os criminosos não chegaram a pedir ou falar nada durante a abordagem", disse. Duas equipes do distrito foram para as ruas neste domingo à procura de pistas sobre os autores do assassinato. O caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.