Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo

'Superamos o pior momento da pandemia do coronavírus no Estado de São Paulo', afirma Doria

Estado apresenta quarta semana consecutiva na queda dos índices de internações, infecções e óbitos pela covid-19

João Ker e Paloma Cotes, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2020 | 13h24

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou durante coletiva de imprensa na tarde desta sexta-feira, 28, que o Estado já superou o pior momento da pandemia, deixou a fase de platô, e já começa a ver um queda nos números da covid-19. “Superamos o pior momento da pandemia do coronavírus em São Paulo”, afirmou, citando a redução nos índices de internações hospitalares, infecções e óbitos pela covid-19. 

O platô ocorre quando, geralmente após um pico, os números de infectados se estabiliza e permanece sem grandes variações por um período de tempo.

Pela média móvel de 14 dias apresentada pela Secretaria Estadual da Saúde, houve redução de mais de 20% no registro de óbitos. “A perspectiva é de que estamos, de fato, iniciando a descida do platô”, reforçou Doria. Nesta 36ª semana epidemiológica, foram registradas também reduções de 5% nos casos, 10% nas internações e 11% nos óbitos pelo coronavírus no Estado. A média diária foi de 205 óbitos e de 7.042 casos na última semana epidemiológica no Estado. Já na capital, essas taxas diminuíram 2%, 11% e 6%, respectivamente

“Da mesma forma que combatemos o vírus, vamos agora enfrentar os efeitos do vírus, principalmente na economia, no emprego e na proteção social”, alertou o governador.

De acordo com Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde do Estado, até as cidades do interior e do litoral paulista, classificadas por ele como “óticas de atenção”, apresentaram reduções de 6% nos casos e internações, e de 18% nos óbitos pelo coronavírus. 

Esta também foi a primeira vez que nenhuma região do Estado regrediu de fase no Plano São Paulo, enquanto as taxas de internação mantiveram-se menores que 55%. Com isso, o Estado tem apenas regiões nas fases laranja e amarela, que permitem a retomada, ainda que parcial, de atividades econômicas. Desde a semana passada, não há regiões na fase vermelha. “São indicadores que nos trazem otimismo. O pior está passando, mas isso não deve inibir precaução, zelo cuidado e atenção no combate à pandemia. Nenhum relaxamento deve ser adotado pelos bons resultados conquistados até aqui”, reforçou o governador.

Nesta semana, houve uma mudança nos critérios de avaliação para que as regiões possam progredir ou regredir no Plano São Paulo. Com isso, passam a ser utilizados dois novos indicadores fixos para que uma região chegue à fase verde, que não foi alcançada ainda: o número máximo de até 40 internações e de até cinco óbitos a cada 100 mil habitantes, registrados nos últimos 14 dias. “A região tem que estar efetivamente com o controle da pandemia, que se estabelece com esses números bastante seguros”, afirmou João Gabbardo, coordenador executivo do Centro de Contingência da Covid-19.

De acordo com Doria, a decisão foi tomada para que "regiões que reduziram sensivelmente seus indicadores não sofram mudanças abruptas de fase, sem que de fato a pandemia tenha se agravado nesses locais". Assim, sempre que uma região ultrapasse as médias de 40 internações ou cinco mortes a cada 100 mil habitantes, o indicador vai preponderar sobre uma possível alteração no dado comparativo com a evolução das semanas anteriores. 

Atualmente, 88% da população paulista já se encontra em regiões classificadas na fase amarela do Plano São Paulo. Dentre o total de 22, metade já está com taxa de internação abaixo de 40 por 100 mil habitantes. "Temos que celebrar a conquista de saída do platô, mas temos que seguir em quarentena e respeitando o nosso plano, seguindo cuidado com os protocolos e uso de máscara", reforçou Patrícia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado. 

No final da tarde, a Secretária Estadual da Saúde divulgou o balanço dos números desta sexta-feira. O Estado tem 29.694 óbitos e 796.209 casos confirmados do novo coronavírus, sendo 279 mortes e 11.753 casos registrados em 24 horas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.