Divulgação
Divulgação

Sumaré decreta estado de emergência após tempestade

Mau tempo danificou mais de 300 casas, além de estabelecimentos comerciais

estadão.com.br,

31 Outubro 2011 | 13h53

SÃO PAULO - O prefeito de Sumaré, José Antonio Bacchim, decretou na manhã desta segunda-feira, 31, estado de emergência após a tempestade seguida de ciclone extratropical que atingiu o município na noite de sábado, 29.

De acordo com dados preliminares da Defesa Civil, mais de cem árvores foram arrancadas pelos fortes ventos. O mau tempo danificou mais de 300 casas, além de estabelecimentos comerciais.

O Pronto Socorro Municipal também foi atingido e a unidade foi interditada e o atendimento de urgência e emergência foi transferido para as unidades de Pronto Atendimento do Matão e do Parque das Nações e para o Centro Integrado de Saúde de Nova Veneza.

As aulas nas escolas de ensino infantil Borboletinha Azul e Arco Íris foram suspensas até sexta-feira, 4, para recuperação de telhado. Cerca de 450 alunos serão prejudicados.

LIMPEZA

Cerca de 60 servidores da Secretaria Municipal de Serviços Públicos estão nas ruas desobstruindo ruas e avenidas. O Corpo de Bombeiros, assim como a Defesa Civil, retira as árvores caídas. Apenas ontem, mais de 50 chamados de retirada de árvores foram atendidas.

Mais conteúdo sobre:
tempestade sumaré emergência

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.