Sujeira e mau cheiro

Os moradores das imediações da esquina da Avenida Rio Branco com a Alameda Eduardo Prado, nos Campos Elísios, há muitos anos esperam providências da Regional da Sé para acabar com o lixo e o entulho que são despejados diariamente no local por carroceiros e caminhões. A coleta efetuada pela Prefeitura não é suficiente, pois a quantidade de lixo é muito grande. Embaixo do viaduto, entre a Alameda Eduardo Prado e a Rua Elias Chaves, funciona o curso de alfabetização para adultos, na Sede do Centro Comunitário Campos Elísios, frequentado por vários moradores da Favela do Moinho. Os alunos sofrem com a sujeira e o mau cheiro do local e muitas vezes é impossível entrar na sede. Solicito uma fiscalização mais atuante e efetiva ou alguma outra providência que impeça essa ação.

, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2010 | 00h00

TITO LOTITO / SÃO PAULO

A Subprefeitura Sé esclarece que, por ser um ponto recorrente de despejo irregular de lixo e entulho, a via recebe constantemente o serviço de varrição diária e coleta no intervalo máximo de 2 dias. Diz que no dia 18 a equipe da subprefeitura esteve no local para reforçar o trabalho. Porém, para que o serviço seja válido e essa situação combatida, o apoio da população, em não contratar empresas clandestinas e carroceiros e fazendo a destinação correta de materiais inservíveis em Ecopontos ou operações cata-bagulho, é fundamental. A Prefeitura, com o apoio das Polícias Militar e Civil, intensificou a fiscalização para identificar e punir os responsáveis.

O leitor contesta: O problema continua. O intervalo de recolhimento de lixo não é suficiente. Seria necessária uma interdição do local para impedir que despejem lixo ali.

IDENTIDADE VERDE

Saúde das árvores

No dia 14/6, uma equipe da Prefeitura começou a arrancar uma espécie de moldura feita com concreto e o piso da calçada que fica ao redor das árvores na Rua Iperoig, em Perdizes. Parece que isso aumenta a área útil de terra no solo. Embora não tenha conhecimento de sua validade, queria entender o motivo dessa obra. Peço a retirada de um bloco de cimento que abrange o tronco de uma árvore na Rua Apiacás, quase na esquina com Rua Caiubi, próxima à uma banca de jornal.

GUTO PACHECO / SÃO PAULO

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras esclarece que a ampliação de canteiro tem como objetivo principal aumentar a área permeável ao redor da árvore, possibilitando, assim, uma melhor captação de água e nutrientes. As árvores que estão estranguladas (com pouca ou sem nenhuma área permeável) têm enorme dificuldade para desenvolver suas raízes, o que acarreta em perda de sustentação e maior risco de queda. Uma equipe da Subprefeitura da Lapa está executando serviços na Rua Diana (podas e remoções) e uma equipe da Secretaria do Verde e Meio Ambiente trabalha na Rua Iperoig (podas de galhos finos, remoção de vegetação interferente e ampliação dos canteiros). Esse trabalho faz parte do Programa Identidade Verde, desenvolvido pela equipe de Coordenação de Áreas Verdes, Paisagismo e Arborização Urbana desta secretaria.

ILUMINAÇÃO PÚBLICA

Escuridão em praça

Solicito ao Ilume que substitua as lâmpadas queimadas da Praça Nossa Senhora da Candelária, na Vila Maria. Há mais de um mês só três lâmpadas estão acesas. Peço que reformulem o projeto de iluminação do local, pois é escuro e põe em risco os frequentadores da igreja matriz de Nossa Senhora da Candelária e do Centro Comunitário Candelária, onde há eventos noturnos.

IDÉRITO MIGUEL CALDEIRA

/ SÃO PAULO

O Ilume não respondeu.

O leitor diz: . Nada foi feito. Nenhuma lâmpada foi trocada, bem como não foram colocadas novas luminárias. A praça continua escura, perigosa, com risco de assaltos principalmente à noite.

SUGESTÃO AO TRÂNSITO

Corredor só para ônibus

Solicito que os responsáveis verifiquem a utilidade da permissão aos táxis de São Paulo de trafegar pelas faixas exclusivas de ônibus quando transportam passageiros. Não há fiscalização e a maioria dos táxis se utiliza desses corredores sem transportar ninguém. Como os funcionários da CET só se preocupam com o rodízio, os taxistas se aproveitam e ficam entrando e saindo dos corredores, principalmente quando estão perto de alguma parada de ônibus, causando enorme congestionamento às demais faixas, fechando cruzamentos e parando em faixa de pedestres.

ALEXANDRE GUEDES MACIEL

/SÃO PAULO

A CET não respondeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.