Sujeira e abandono

SÃO BERNARDO DO CAMPO

O Estado de S.Paulo

08 de setembro de 2012 | 03h01

A falta de conservação e limpeza de logradouros públicos em São Bernardo do Campo é cada vez mais preocupante. No Jardim Cantareira é quase impossível observar serviços de varrição de ruas no bairro. Ou há falta de funcionários ou faltam fiscalização e gerência dos administradores. O resultado é acúmulo de sujeira e bueiros entupidos. Antigas faixas de sinalização de trânsito e pedestres também sumiram e não houve manutenção. A falta de conservação de canteiros e praças é latente. Entre as Ruas Serra do Mar e Serra de Botucatu há um grande terreno onde as calçadas estão esburacadas. Entre as Ruas Serra da Cantareira e Serra Dourada há uma pequena praça que está abandonada. Queremos uma política ambiental efetiva no município, respeitando a diversidade da Mata Atlântica.

ESTEVÃO S. DE OLIVEIRA / SÃO BERNARDO DO CAMPO

A Prefeitura de São Bernardo do Campo informa que a manutenção da vegetação é realizada conforme a programação do referido setor. Sobre a praça, será realizada vistoria para verificar a necessidade de revitalização do local. Quanto à limpeza, diz que o Jardim Cantareira é atendido por serviços de varrição semanalmente. O bairro está na programação de revitalização da sinalização e trânsito existente, que deverá ser cumprida em 90 dias.

O leitor contesta: Nenhuma providência efetiva foi tomada. Ao mesmo tempo que a prefeitura diz ter uma equipe de fiscalização, ela sugere que irá analisar a reclamação. Sobre o serviço de limpeza urbana, por que o bairro continua sujo? As faixas de sinalização estão desgastadas e ainda temos de aguardar 90 dias?

SEGURANÇA

Assaltos na Paulista

O número de assaltos na Avenida Paulista aumentou 35% em relação ao período de janeiro a julho do ano passado. Realmente, há vários grupos de quatro a seis policiais distribuídos ao longo da avenida, que deveriam coibir esses assaltos. No entanto, como trabalho lá e percorro a pé todos os dias o trajeto entre as Ruas Pamplona e a Bernardino de Campos, constato que os policiais, em vez de ficarem atentos, alertas e vigiando as pessoas que ali circulam, ficam conversando alegremente, fumando ou mexendo no celular. Pelo comportamento atual, se ocorrer algum assalto na cara deles, nem vão perceber. Não há necessidade de grupos de quatro a seis policiais; duplas seriam suficientes e, além disso, diminuiriam pela metade a distância entre uma equipe e outra. Fica aqui um alerta.

ALBERTO KANEKO / SÃO PAULO

A Polícia Militar (PM) informa que encaminhou a reclamação ao comandante de Policiamento competente para avaliar o ocorrido. Sugere ao leitor que entre em contato com a PM quando vislumbrar novamente essa situação (via 190 ou 181), identificando os policiais que praticarem tais irregularidades.

O leitor comenta: Vou observar se haverá alguma mudança comportamental dos policiais.

TAM - DESCASO

Voos e classe alterados

Compramos com milhas duas passagens da TAM em classe executiva São Paulo/Bogotá/São Paulo. Para nossa surpresa, os voos foram transferidos para a LAN, com mudança de horários. Fomos ainda informados de que seríamos realocados em classe econômica, pois o voo em questão não possuía classe executiva, apenas classe "premium". Ao consultar o site da TAM, vimos que assentos em classe executiva eram vendidos normalmente. Enviamos queixa ao Fale com o Presidente e nada foi feito. O mesmo problema se deu com os trechos internos na Colômbia. Pedimos reembolso, que, se aprovado, levará 30 dias para ocorrer. Ficamos chocados com a ineficiência, propaganda enganosa e má-fé da TAM.

ALEXANDRE SAADEH

/ SÃO PAULO

A TAM esclarece que o Grupo LANTAM Airlines promoverá uma alteração nos voos entre São Paulo e Bogotá. Assim, a partir de 10/9, a ligação direta entre essas localidades passará a ser feita pela LAN Colômbia. Diz que está oferecendo reacomodação aos clientes sem qualquer ônus. No entanto, essa alternativa não atendeu às necessidades do leitor e, conforme solicitação, foi feita a reitineração para o trecho São Paulo/Montevidéu. Os clientes foram acomodados na executiva, mesma classe de serviço da emissão original.

O leitor lamenta: Resposta formal, que não explica o porquê de não sermos realocados em classe executiva, como estávamos no voo original. Será porque usamos milhas para comprar as passagens? Espero que o pedido de reembolso seja deferido, já que a anulação da viagem e a mudança de planos se deram por culpa da TAM.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.