Sujeira, assalto e drogas

A situação está péssima na Ponte Nova do Morumbi (sentido Interlagos, logo após a Ponte Caio Pompeu de Toledo). A ponte é muito utilizada, pois é de fácil acesso por trem (Estação Morumbi, Linha 9) para quem está do outro lado do Rio Pinheiros, porém a travessia a pé é uma aventura. A passarela de acesso (ao lado do condomínio América Business Park, altura do n.º 5.200) nunca foi limpa, os assaltos ali são frequentes e ainda há usuários de drogas. Não há fiscalização ou segurança. Muitas empresas estão instaladas na região e, por isso, é grande o número de trabalhadores que utilizam a passarela. Na última reclamação feita, a subprefeitura informou que limpara o local, pura mentira.

, O Estado de S.Paulo

12 Fevereiro 2011 | 00h00

MARCELO DE MOURA / SÃO PAULO

A Polícia Militar diz que, de acordo com o Infocrim (1º/10/2010 a 28/1/2011), foram constatados 2 furtos e 1 roubo na Ponte Nova Morumbi. O local pertence à área da 5ª Companhia do 16º BPM/M, coberto pelos programas de Radiopatrulha, Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicleta (Rocam) e de viatura da Força Tática. Diz que um carro de Rádio Patrulha permanece na ponte de 2ª a 6ª feira das 16 às 21 horas e que há patrulhamento por viaturas e Rocam na marginal.

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras informou, em 10/2, que a Ponte Nova Morumbi receberá serviço de limpeza da Subprefeitura Butantã na próxima semana.

O leitor afirma: Não duvido das ocorrências e das ações listadas, mas não é a percepção de quem trabalha na região. Atravessar o viaduto é um desafio.

PARQUE DA ACLIMAÇÃO

Descaso da administração

Teve início a limpeza do lago do Parque da Aclimação, mas, até hoje - quase dois anos depois -, não foi concluída. Em seguida, houve a reforma da pista, que reduziu, como único resultado, a área disponível para corridas e caminhadas. Após a obra, as laterais da pista apresentam uma inclinação tão acentuada que é impossível caminhar fora da estreita faixa central e, nos dias de chuva, a água se acumula . Há cerca de 1 mês teve início a construção do vertedouro, e o descaso aumentou. A vegetação, que já não recebia cuidados constantes, deixou de ser podada e o mato cresceu por toda parte, surgindo até uma ilha no meio do lago.

DILSON FERREIRA DA C. JÚNIOR / SÃO PAULO

A Secretaria do Verde e Meio Ambiente não respondeu.

O leitor informou que retomaram a obra, que ficou paralisada por um tempo. Mas diz que os problemas citados continuam.

CRIME AMBIENTAL

São Sebastião

Numa encosta na Praia de Camburizinho, em São Sebastião, perto do mar, uma grande clareira foi feita na vegetação virgem para a construção de uma casa. Além de ser uma afronta contra a mata, o fato deve representar perigo de desabamento do morro, por onde passa a Estrada Rio-Santos. Essa encosta fica do lado esquerdo da praia para quem olha para o mar. Espero que as autoridades locais atuem de maneira séria para resolver essa questão.

MICHEL SCIAMA / SÃO PAULO

A prefeitura de São Sebastião declara que há plantas aprovadas pela municipalidade, assim como o Alvará de Construção nº 109/10, além do Termo de Compromisso de Recuperação Ambiental de Autorização e do levantamento planialtimétrico da área averbada. Estes foram aprovados e expedidos pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb). Diz que a aprovação municipal só foi emitida mediante a apresentação das autorizações estaduais e análise do projeto sob a ótica das legislações municipais de uso e ocupação do solo (561/87), código de obras (46/65) e Lei Ambiental (848/92).

O leitor comenta: A Lei 4.771 considera em preservação permanente áreas que estão em encostas ou em partes delas com declividade superior a 45°, equivalente a 100% na linha de maior declive. Parece que as autoridades estão acima da lei.

BERRINI

Reforma inacabada

A Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini acaba de ser recapeada. Embora tenha melhorado seu estado, o serviço foi político, pois o asfalto parece solúvel em água. Há vários buracos pela avenida, cujos tamanhos variam de um a dois palmos. Se eles não forem reparados com urgência, logo se transformarão em crateras. Como já começaram a fazer as marcações das faixas de trânsito, é preciso consertá-los com urgência antes que as faixas definitivas sejam pintadas.

CARLOS TABORDA / SÃO PAULO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.